Nota de solidariedade a Dom Pedro Casaldáliga

Foto: do blog Ministério da Palavra/Vicariato de Canoas

Ao se aproximar a desintrusão da Terra Indígena Marãiwatsèdè, uma das pessoas mais visadas pelos invasores é o bispo emérito de São Félix do Araguaia, a quem estão querendo imputar a responsabilidade pela demarcação da área Xavante

06/12/2012


Ao se aproximar a desintrusão da Terra Indígena Marãiwatsèdè, após mais de 20 anos de invasão, quando os não-indígenas estão para ser retirados desta área, multiplicam-se as manifestações de fazendeiros, políticos e dos próprios meios de comunicação contra a ação da justiça.

Neste momento de desespero, uma das pessoas mais visadas pelos invasores e pelos que os defendem é Dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito de São Félix do Araguaia, a quem estão querendo, irresponsável e inescrupulosamente, imputar a responsabilidade pela demarcação da área Xavante nas terras do Posto da Mata.

As entidades que assinam esta nota querem externar sua mais irrestrita solidariedade a Dom Pedro. Desde o momento em que pisou este chão do Araguaia e mais precisamente, desde a hora em que foi sagrado bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia, sua ação sempre se pautou na defesa dos interesses dos mais pobres, os povos indígenas, os posseiros e os peões. Todos sabem que Dom Pedro e a Prelazia sempre deram apoio a todas as ocupações de terra pelos posseiros e sem terra e como estas ocupações foram o suporte que possibilitou a criação da maior parte dos municípios da região.

Em relação à terra indígena Marãiwatsèdè, dos Xavante, os primeiros moradores da região nas décadas de 1930, 40 e 50 são testemunhas da presença dos indígenas na região e como eles perambulavam por toda ela.  Foi com a chegada das empresas agropecuárias, na década de 1960, com apoio do governo militar, que a Suiá Missu se estabeleceu nas proximidades de uma das aldeias e  até mesmo conseguiu o apoio do Serviço de Proteção ao Indio para se ver livre  da presença dos indígenas. A imprensa nacional noticiou a retirada de 289 xavante da região os quais foram transportados em aviões da FAB, em 1966, para a aldeia de São Marcos, no município de Barra do Garças.

Em 1992, a AGIP, empresa italiana que tinha comprado a Suiá Missu das mãos da família Ometto, quis se desfazer destas terras. Por ocasião da ECO-92, sob pressão inclusive internacional, a empresa destinou 165.000 hectares para os Xavante que, durante todo este tempo, sonhavam em voltar à terra de onde tinham sido arrancados. Imediatamente  fazendeiros e políticos da região fizeram uma grande campanha para ocupar a área que fora reservada aos Xavante, precisamente para impedir que os mesmos retornassem. Já no dia 20 de junho de 1992, algumas áreas tinham sido ocupadas e foi feita uma reunião no Posto da Mata, da qual participaram políticos de São Félix do Araguaia e de Alto Boa Vista e também havia repórteres. A reunião foi toda gravada. As falas deixam mais do que claro que a invasão da área era  exatamente para impedir a volta dos  Xavante. “Se a população achou por bem tomar conta dessa terra em vez de dá-la para os índios, nós temos que dar esse respaldo para o povo” (José Antônio de Almeida – Bau, prefeito de São Félix do Araguaia).  “A finalidade dessa reunião é tentarmos organizar mais os posseiros que estão dentro da área... Se for colocar índio no seu habitat natural, tem que mandar índio lá para Jacareacanga, ou Amazonas, ou Pará...” (Osmar Kalil – Mazim, candidato a prefeito do Alto Boa Vista). “Nós ajudamos até todos os posseiros daqui serem localizados... Chegou a um ponto, ou nós ou eles (os Xavante) porque nós temos o direito... Dizer que aqui tem muito índio? Aqueles que estão preocupados com os índios que tem que assentar. Tem um monte de país que não tem índio. Pode levar a metade... Na Itália tem índio? Não, não tem! Leva! Leva pra lá! Carrega pra lá! Agora, não vem jogar em nós, não... ( Filemon Costa Limoeiro, à época funcionário do Fórum de São Félix do Araguaia)

A área reservada aos Xavante foi toda ocupada por fazendeiros, políticos e comerciantes. Muitos pequenos foram incentivados e apoiados a ocupar algumas pequenas áreas para dar cobertura aos grandes. O governo da República, porém estava agindo e logo,  em 1993, declarou a área como Terra Indígena que foi demarcada e, em 1998 homologada pelo presidente FHC.  Só agora é que a justiça está reconhecendo de maneira definitiva o direito maior dos índios.  O que D. Pedro sempre pediu, em relação a esta terra, foi que os pequenos que entraram enganados, fossem assentados em outras terras da Reformas Agrária. Mas o que se vê é que, ontem como hoje, os pequenos continuam sendo massa de manobra nas mãos dos grandes e dos políticos na tentativa de não se garantir aos povos indígenas um direito que lhes é reconhecido pela Constituição Brasileira.

Mais uma vez, queremos manifestar nossa solidariedade a Dom Pedro e denunciar mais esta mentira de parte daqueles que tentam eximir-se da sua responsabilidade sobre a situação de sofrimento, tensão e ameaça de violência que eles mesmos criaram, jogando esta responsabilidade sobre os ombros de nosso bispo emérito.

5 de dezembro de 2012

Conselho Indigenista Missionário – CIMI - Brasilia

Comissão Pastoral da Terra – CPT - Goiânia

Escritório de Direitos Humanos da Prelazia de São Félix do Araguaia – São Félix do Araguaia

Associação de Educação e Assistência Social Nossa Senhora da Assunção – ANSA – São Félix do Araguaia

Instituto Humana Raça Fêmina – Inhurafe – São Félix do Araguaia

Associação Terra Viva – Porto Alegre do Norte

Associação Alvorada – Vila Rica

Associação de Artesanato Arte Nossa – São Félix do Araguaia

Comentários

Quanta loucura por causa da

Quanta loucura por causa da grana e outros interesses; gente estúpida!!D. Pedro é reconhecido internacionalmente como um bravo defensor das causas justas a favor dos excluídos.A coisa no Brasil está virando um "faroeste"ruim e com permissão das "autoridades; pior para eles!!! 

Apoio a Causa Xavante e minhas solidariedades a Dom Pedro

Está ai um exemplo do quanto o capital é arrogante e inescropuloso. As contradiçoes fluem a todo instante, pois, são defensores da lei da propriedade, mas contra os seus interesses a transgridem a luz das decisões judiciais. Espero que foram aplicado a esses fazendeiros infasores, que estão dificultando  o trabalho da justiça, a mesma medida contra os sem terra... efetuar prisões por estar perturbando a ordem pública. Impedindo o trabalho da justiça. Aos Xavante, acredito que a jogo está ganho no primeiro tempo, vocês tem que entrar para a area de cara pintada, prontos para guerra, pois as retaliaçoes se certo, o brio daqueles que sempre gozaram de prestigio e poder, agora tá ferido. E um animal ferido, é muito perigoso.A Dom Pedro, a nossa admiração e exemplo a ser apresentado a nossas geraçoes futuras... Essa coerência incontestável e imbativel. Eu achava que esses fazendeiros invasores teria o minimo de humanidade, de pelo menos respeitar um ancião... já é tempo de reconhecer a sua história e importância para a região e sociedade brasileira.  

Apoio a Casaldáliga e aos índios que vivem nessa região.

Ainda bem que existem pessoas que lutam pelos menos favorecidos, como seria o mundo se nao houvessem pessoas como Dom Pedro? Infelizmente os politicos e a "elite dessas regiões" tratam mal  essas populações (menos favorecidas, principalmente, os índios). Vivi isso na pele, quando começou a demarção dessas terras, morava em São Félix do Araguaia, não me lembro o ano, minha filha mestiça adolescente, sofreu preconceitos em razão dessa demarcação por parte de um professor, isso dentro da sala de aula. Logo de um professor que "deveria" ser a pessoa mediadora para que não houvesse preconceito na sala de aula por parte dos colegas, mas não, era o primeiro a agredi-la a ofende-la. Tive que intervir na escola para que os ataques do professor contra a minha filha não continuassem. Infelizmente, isso é uma realidade, imaginem o que sofrem os índios que vivem nessas regiões? Quanto preconceito!

Apoio a causa dos xavante.

Apoio a causa dos xavante. Apoio e aplaudo a pessoa de Dom Pedro, homem de fé, entrega a causa da VIDA , da JUSTIÇA e do Evangelho de Jesus-  e acho um crime  acusá-lo, desrespeitá-lo, e acusá-lo de morte acaba sendo crime contra a humanidade que ainda tem VIDA e sabe defendê-la.

Solidariedade a Dom Pedro Casaldáliga

Como ele próprio diz: "minha causa vale mais que minha vida". É digno detodo o respeito, pois sempre lutou pelo que acredita, movido por espíritode amor e justiça, sobretudo em relação os pobres e oprimidos. O que vemoshoje em relação as terras que estão sendo desocupadas para serem devolvidasaos índios é uma prova de que ainda é possível sonhar com justiçaem um país tão desumano e injusto. O Bispo está sendo ameaçado e hoje nãoestá em sua casa, embora não possa ser responsabilizado pela situação, sei queele está muito feliz porque teve a oportunidade de vivenciar a vitória dos indígenassobre os políticos corruptos e sobre os grandes fazendeiros que sempre acreditaramque com dinheiro na mão e manobras políticas fossem capazes de tudo.

Desde estas tierras catalanas

Desde estas tierras catalanas envio un abrazo muy fuerte a nuestro obispo Pedro Casaldaliga. Lo he tenido desde años como mi guia en la lucha por la justicia, por su sabiduria, su humildad y su testimonio.Me uno a vosotros para testimoniar su honradezManoli               

Solidariedade à Dom Pedro junto com a causa que e como defende.

Essa causa é um clamor que nasce do Evangelho, digo de Jesus Livertador, em nossos dias. 

Solidariedade a Dom Pedro.

D. Pedro é a figura do

D. Pedro é a figura do testemunho e da doação, no cultivo da vivência e difusão do Evangelho Subversivo! Do Deus da Vida!D. Pedro, D. Erwin, D. Tomás, tantas pessoas que se dedicam à causa indígena, merecem nosso total apoio e força. Os Xavante estão lutando, resistindo e conquistando a justiça que lhe foi roubada com as invasões por parte dos latifundiários do MT. Estes que também violentam, mandam matar, e manipulam as mídias, colocando o povo contra os indígenas.D. Pedro, os Povos Indígenas, os indigenistas e muitas pessoas estão contigo! Vida e Terra para os Xavante! Vida e coragem para ti! 

apoyo Casaldáliga

Duele a los poderosos sin escrúpulos, que tienen como principal objetivo en la vida, acumular riqueza a ocsta de lo que sea, que personas como Don Pedro Casaldáliga -paisano mío, por cierto- estén al lado de los más esfavorecidos, de los más débiles.Mi apoyo incondicional hacia monseñor.

Deixe seu comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
8 + 12 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.