Médicos cubanos no Brasil?

Se não chegam médicos cubanos, o que dizer à população desassistida de nossas periferias e do interior? Que suporte as dores? Que morra de enfermidades facilmente tratáveis? Que peça a Deus o milagre da cura?

 

17/05/2013

 

Frei Betto

 

O Conselho Federal de Medicina (CFM) está indignado frente ao anúncio da presidente Dilma de que o governo trará 6.000 médicos de Cuba, e outros tantos de Portugal e Espanha, para atuarem em municípios carentes de profissionais da saúde. Por que aqui a grita se restringe aos médicos cubanos? Detalhe: 40% dos médicos do Reino Unido são estrangeiros.

Também em Portugal e Espanha há, como em qualquer país, médicos de nível técnico sofrível. A Espanha dispõe do 7º melhor sistema de saúde do mundo, e Portugal, o 12º. Em terras lusitanas, 10% dos médicos são estrangeiros, inclusive cubanos, importados desde 2009. Submetidos a exames, a maioria obteve aprovação, o que levou o governo português a renovar a parceria em 2012.

Ninguém é contra o CFM submeter médicos cubanos a exames (Revalida), como deve ocorrer com os brasileiros, muitos formados por faculdades particulares que funcionam como verdadeiras máquinas de caça-níqueis.

O CFM reclama da suposta validação automática dos diplomas dos médicos cubanos. Em nenhum momento isso foi defendido pelo governo. O ministro Padilha, da Saúde, deixou claro que pretende seguir critérios de qualidade e responsabilidade profissionais.

A opinião do CFM importa menos que a dos habitantes do interior e das periferias de nosso país que tanto necessitam de cuidados médicos. Estudos do próprio CFM, em parceria com o Conselho Regional de Medicina de São Paulo, sobre a “demografia médica no Brasil”, demonstram que, em 2011, o Brasil dispunha de 1,8 médico para cada 1.000 habitantes.

Temos de esperar até 2021 para que o índice chegue a 2,5/1.000. Segundo projeções, só em 2050 teremos 4,3/1.000. Hoje, Cuba dispõe de 6,4 médicos por cada 1.000 habitantes. Em 2005, a Argentina contava com mais de 3/1.000, índice que o Brasil só alcançará em 2031.

Dos 372 mil médicos registrados no Brasil em 2011, 209 mil se concentravam nas regiões Sul e Sudeste, e pouco mais de 15 mil na região Norte.

O governo federal se empenha em melhorar essa distribuição de profissionais da saúde através do Provab (Programa de Valorização do Profissional de Atenção Básica), oferecendo salário inicial de R$ 8 mil e pontos de progressão na carreira, para incentivá-los a prestar serviços de atenção primária à população de 1.407 municípios brasileiros. Mais de 4 mil médicos já aderiram.

O senador Cristovam Buarque propõe que médicos formados em universidades públicas, pagas com o seu, o meu, o nosso dinheiro, trabalhem dois anos em áreas carentes para que seus registros profissionais sejam reconhecidos.

Se a medicina cubana é de má qualidade, como se explica a saúde daquela população apresentar, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), índices bem melhores que os do Brasil e comparáveis aos dos EUA?

O Brasil, antes de reclamar de medidas que beneficiam a população mais pobre, deveria se olhar no espelho. No ranking da OMS (dados de 2011), o melhor sistema de saúde do mundo é o da França. Os EUA ocupam o 37º lugar. Cuba, o 39º. O Brasil, o 125º lugar!

Se não chegam médicos cubanos, o que dizer à população desassistida de nossas periferias e do interior? Que suporte as dores? Que morra de enfermidades facilmente tratáveis? Que peça a Deus o milagre da cura?

Cuba, especialista em medicina preventiva, exporta médicos para 70 países. Graças a essa solidariedade, a população do Haiti teve amenizado o sofrimento causado pelo terremoto de 2010. Enquanto o Brasil enviou tropas, Cuba remeteu médicos treinados para atuar em condições precárias e situações de emergência.

Médico cubano não virá para o Brasil para emitir laudos de ressonância magnética ou atuar em medicina nuclear. Virá tratar de verminose e malária, diarreia e desidratação, reduzindo as mortalidades infantil e materna, aplicando vacinas, ensinando medidas preventivas, como cuidados de higiene.

O prestigioso New England Journal of Medicine, na edição de 24 de janeiro deste ano, elogiou a medicina cubana, que alcança as maiores taxas de vacinação do mundo, “porque o sistema não foi projetado para a escolha do consumidor ou iniciativas individuais”. Em outras palavras, não é o mercado que manda, é o direito do cidadão.

Por que o CFM nunca reclamou do excelente serviço prestado no Brasil pela Pastoral da Criança, embora ela disponha de poucos recursos e improvise a formação de mães que atendem à infância? A resposta é simples: é bom para uma medicina cada vez mais mercantilizada, voltada mais ao lucro que à saúde, contar com o trabalho altruísta da Pastoral da Criança. O temor é encarar a competência de médicos estrangeiros.

Quem dera que, um dia, o Brasil possa expor em suas cidades este outdoor que vi nas ruas de Havana: “A cada ano, 80 mil crianças do mundo morrem de doenças facilmente tratáveis. Nenhuma delas é cubana”.

 

Frei Betto é escritor, autor de “O que a vida me ensinou”, que a editora Saraiva faz chegar esta semana às livrarias.

Comentários

MAIS MÉDICOS?

Parabéns
ao todos os comentaristas, inclusive eu, por sempre querer dar a sua opinião
como a mais correta possível! Como se fôssemos conseguir uma união de razões
sobre o assunto! Alguns comentários incluem dados e estatísticas, outros falam
sobre os possíveis motivos e melhorias incluídas nas medidas do governo.

A
forma como é escrito um artigo nos induz a tirar as nossas conclusões e nos
instiga a realizar os nossos comentários. Muito interessante este tipo de
FORMATO de muitas coisas, hoje em dia, muito democrático e faz com que os
leitores tenham outras OPÇÕES de informação, sendo que muitos acabam misturando
e fugindo do tema e até agredindo uns aos outros.

Assunto
sobre médico dá muito ibope! Parabéns ao governo federal por conseguir provocar
todo este debate com suas medidas e comentários sobre a saúde do nosso AMADO
Brasil, em especial a falta de médicos e conseguir impor os seus atos de uma
forma tão fugaz! Vamos começar redundantemente pelo início e isto inclui como
são realizadas as decisões dessas normas que nos incomodam tanto e provocam tamanhas
discussões, entre nós, debatedores. Sem nenhuma ofensa vamos falar apenas de
fatos e realizar questionamentos.

Se
alguém acha que a MAIORIA dos políticos toma as decisões baseada na análise do
teor das matérias sem interesses individuais é uma pessoa iludida. Fato: A lei
do ato médico foi elaborada e discutida com todos os setores envolvidos durante
11 anos e aprovada por unanimidade, a presidente Dilma vetou 10 artigos
principais, e os mesmos deputados e senadores em seguida mantiveram os vetos.
Como é isso? Interesses, trocas de favores, liberações de verbas, etc. Houve
discussão na formação do projeto, mas na votação dos vetos foi decisão POLÍTICA
(o que significa isto?). Ei, o voto foi SECRETO! E nós aqui discutindo. Vamos
ressaltar a COERÊNCIA e senso de JUSTIÇA. Não é só o PT (o da vez), é a maioria
deles, é como funciona o sistema. Hoje existe um profissionalismo, os atos
governistas são realizados após pesquisas e são guiados por MARQUETEIROS. Isso
é importante frisar. Quem vai se opor a um programa denominado mais médicos,
para salvar a saúde do Brasil que não tem médicos? (frase do ministro da saúde
que já atropelou qualquer julgamento de estatísticas, já ficou implícito que o
Brasil não tem médicos) Perfeito até demais da conta, e como se diz: esmola
demais até cego desconfia.

O
autor tenta defender a medida do governo, por isso usa argumentos, mas começa
marcando o ponto chave da resistência do CFM, que é a FALTA do revalida, e cita:
"Em nenhum momento isso foi defendido pelo governo. O ministro Padilha, da
Saúde, deixou claro que pretende seguir critérios de qualidade e
responsabilidade profissionais". Ora, se o CFM (Conselho Federal de
Medicina – órgão maior da classe profissional) instituiu a prova do REVALIDA
para atestar a competência do profissional vindo de outros países como sistema
de garantir a qualidade destes como é que será avaliada a qualidade e
responsabilidade profissional como diz o artigo? A prova será substituída? Este
é um sistema utilizado na maioria dos outros países. Olhem o artigo onde diz “Submetidos
a exames, a maioria obteve aprovação, o que levou o governo português a renovar
a parceria em 2012.” Perceba que eu não estou dizendo que o médico estrangeiro,
cubano ou de outro país não pode ser bom, mas não há como se responsabilizar
pelos serviços dele, sem a prova (a prova é o sistema definido em lei para
medir a competência). De quem será a RESPONSABILIDADE se um doente com uma dor
na barriga que seja uma doença grave tipo apendicite morrer por atraso no
diagnóstico? A responsabilidade é de quem liberou o médico estrangeiro para o
trabalho sem a prova, e este deve assinar o registro dele nos órgãos de classe.
O registro deles deveria ser assinado pelo ministro da saúde com o aval do Presidente
da República.

O
que o Brasil vem fazendo em relação à medicina preventiva? Em relação a
diminuição de acidentes? Os motoqueiros estão aí se aventurando à vontade a mil
por hora e se acidentando aos montes, deixando de produzir e ficando a mercê
dos benefícios do INSS, com o nosso dinheiro. Alguém está fazendo um programa
de prevenção neste âmbito? O governo está investindo em duplicação das
estradas? Está investindo em educação? Está investindo em saneamento básico? Até
que está, mas muito pouco e lentamente. Por que não aceleram como nesses
programas? Isto seria seguir os sistemas de medicina preventiva de Cuba e de
outros países. Enquanto isso gasta bilhões em propaganda para enaltecer
qualquer ato do governo, isso ninguém coloca na mídia. Claro que não sai na
mídia. Em países como os Estados Unidos é proibido gastos com este tipo de coisa.
No Rio Grande do Norte, um Juiz mandou cancelar as propagandas de televisão do
governo do estado para pagar contas da saúde. Isto foi um fato.

A
administração do governo deveria fazer um verdadeiro programa para estimular os
médicos do Brasil a preencherem as vagas, isto inclui um programa unificado
entre federação, estados e municípios, com planos de carreira, cargos e
salários, onde inicialmente os médicos ocupariam os lugares mais longínquos
atendendo o clamor da população; e quando saíssem haveria outros para ocupar as
vagas. Lembro que a saúde não é feita apenas com médicos, portanto o governo
deveria fazer um plano para todos os cargos essenciais, onde adicionamos
enfermeiros, dentistas, professores, e outros mais. Isto sim seria atitude.  Ao invés disso criam bolsas, sem nenhuma
garantia trabalhista ou de continuidade, com vagas para serem preenchidas da
noite para o dia, vagas típicas para recém-formados, que acabaram o curso e vai
esperar para fazer uma residência médica trabalhando nesses locais. Até uma boa
idéia, mas as vagas teriam que ser divididas com os postos fixos de médicos de
carreira. É como nas forças armadas, existem os profissionais de carreira e os
temporários.

Por
fim temos a GENERALIZAÇÃO: “ato de aplicar um princípio ou conceito a um
conjunto de casos, dando a impressão do todo, sendo que não se aplica a todos
os casos”. Não foi preciso muito esforço do governo para provocar os novos
indivíduos idealistas para falar mal dos médicos. Nessa hora poucos são os que
defendem. Que injustiça para os BONS MÉDICOS. Frases do tipo, médico só pensa
em ganhar dinheiro, não tem atenção ao paciente se for do SUS,  etc, são comuns hoje em dia. Basta colocar na
televisão que a imagem vai lá pra baixo. Reverter depois é o difícil. No Brasil
pode tudo.  Também vemos aumentar a falta
do obrigado, com licença, e desculpe na maioria das pessoas, médicas ou não. Se
aparecer dois concursos para profissionais, um para trabalhar num posto
distante para ganhar X, e outro para ganhar 4X, se o profissional passar nos
dois escolherá qual? Se no seu trabalho a exigência for pouca, o profissional
vai ficar procurando serviço? Quem vai? Se a exigência for muita o profissional
vai medir, se vale a pena manter este trabalho ou procurar outro.

Médicos
que não estão servindo a contento devem se enquadrar e os pacientes tem a quem
reclamar, iniciando pelo próprio profissional, hospital ou clínica onde foi
atendido, e até o CRM. É o dever do médico atender bem independentemente onde
esteja, se ele assumiu a função tem de cumprir. E também ser claro com o
paciente que o atendimento é uma coisa e o sistema é outra diferente. Por
exemplo, se tem 50 pacientes na fila em um pronto-socorro, e só um médico
atendendo a reclamação deverá ser ao gestor público e não ao médico. Se for
solicitado um raio X urgente e o serviço não estiver funcionando por falta de
material ou técnico de raio-X, o médico fica impedido de definir um tratamento
correto, embora, como já fez o atendimento fica sendo responsável legalmente
pelo desfecho do caso do paciente. Isto é falta de condições de trabalho. Muito
comum no sistema de saúde do Brasil.

Quando
um político oferece pouco ao médico, um finge que trabalha e o outro finge que
tem o profissional a disposição, enquanto que o verdadeiro objetivo é dar uma
satisfação a população que está fornecendo o serviço. E os prefeitos que não
tem profissionais registrados e regulamentados, dentre eles o médico, ficam
utilizando-os como mercadoria de campanha, se o prefeito sair sua equipe sai e
entra outra. Um mal antigo da politicagem do Brasil que dificulta o crescimento
do país. Os cargos não são preenchidos por competência técnica e sim por indicação
política. Grande novidade! Por outro lado, se o médico assumiu que vai
trabalhar 4 dias, deverá trabalhar os 4 dias.

Conclusão:
são muitas coisas erradas, e a gente aqui discutindo...

Parabéns a você, por este

Parabéns a você, por este brilhante comentário. Em semanas de notícias, opiniões e comentários que beiram à idiotice, esse é o primeiro texto inteligente que vejo a respeito, nesse momento caótico que vivemos.Mais uma vez parabéns e que mais pessoas como você sejam iluminadas com o dom do discernimento e escrita porque, francamente, só o que vejo são hipócritas e analfabetos funcionais.

São Mercenários

Os médicos que aqui atendem, ou fingem que atendem só querem saber de receber os seus proventos, tem varios empregos e a atendem mal pra caramba, (não regenalizando), conheço essa raça, aceitam trabalham em  algo que não dominam, que a lei permite e quem precisar deles que  se dane né, já tive váriasss experiências, é revoltante ver tanta incompetência, tenho falado

medicos cubanos

Propaganda cubana é manipulada pelo governo!!!!!Muita gente quer fugir de Cuba. Alguns médicos estão conseguindo...

Médicos do exterior.

Olha, respeitosamente gostaria de esclarecer que o Brasil não mandou somente tropas, alías as tropas Brasileiras é que garantiram que as equipes médicas, inclusive os Cubanos, pudessem praticar a Medicina naquela zona de catastrofe e destruição do tecido social, mas, alé, disto, foram enviados médicos das Forças Armadas e Hospitais de Campanha com estrutura completa para atendimento Clínico e Cirúrgico. Posteriormente as Forças Armadas, em um segundo momento, enviaram clínicos e infectologistas para evitar e tratar doenças que ocorrem pós catástrofes, como: leptospirose, cólera, tifo, diarréias infecciosas e etc. Não foram os Cubanos que fizeram milhares de cirurgias lá, inclusive com necessidade de centenas de amputações, mas os médicos militares Brasileiros e com CRM. Quanto a posição do Brasil na saúde, deixar implícito que os médicos Cubanos são melhores que o Brasileiros é falho, pois a Medicina Brasileira é reconhecida como uma das melhores do mundo, inclusive como referência em cirurgia plástica, cardiologia, transplante de órgãos e infectologia, vide o Programa de Combate a AIDS, reconhecido como o melhor do mundo. Então o problema da posição do Brasil na saúde não tem a ver com os médicos, mas sim a falta de política de saúde adequada ao Brasil, e também falta de medidas sanitárias para melhorar a qualidade da água e tratamento de esgosto, funçõe essa do Estado. Porém rios de corrupção impedem que o Brasil melhore sua saúde, e agor, jogasse a culpa nos médicos. Vítima mais fácil, porque está justamente na linha de frente.Há 10 anos no poder, o governo Petista nada fez para melhorar a estrutura da saúde e tempouco ligou para o povo que está morrendo, agora, sem consultar especialistas no tema, pari esse programa cheio de redundâncias. Colocar um médico sem revalidação para atender pobre, é igual colocar uma arma na mão de um assassino, a gente nunca sabe o que pode acontecer, e neste caso, acho que a ausência do médico pode causar menos dano que a presença de um mau profissional.Solução, PEC 122/2011 - permite aos médicos militares, assim como os civis, que em suas horas de folga, possam atender no SUS. São milhares de médicos militares qualificados que já estão na região da fronteira e conhece as peculiaridades brasileiras, que seriam liberados para atender nosso povo carente.As soluções existem, e poderiam ter sido discutidas antes do governo, autoritariamente, lançar um programa de cunho eleitoral. Abraço Fraterno. Marcelo Bravin Callegario (Comandante Médico da Marinha do Brasil - especilista em Doenças infecciosas e parasitárias e Patriota).

Noto que nestas discussões o

Noto que nestas discussões o que menos importa e a população. Todos defendem suas posições privilegiadas, transferindo de um para o outro a responsabilidade de cobrar uma saúde melhor. Partidarizar a questão é um jeito simples de diminuir a culpa pelas mazelas da sociedade brasileira. Seja de Cuba ou qualquer outro país, o que importa é o sofrimento da população, cujo direito é violado todos os dias. Faltam médicos no interior do país e não há interesse nenhum em ir para lá atender a população carente. Esta deveria ser o centro da questão.

É só um desabafo

 Li praticamento todos comentários que boa parte  me pareceram ser de pessoas ligadas a medicina ou pessoas que por mais que a proposta seje boa não aceitará pos vem do PT, bem, eu falo como uma pessoa que entra numa emergência com a filha e por exatos 1 ano todos médicos falaram que não sabe dizer o motivo da forte dor que ela sentia( e mandar pra casa sem ao menos uma medicação para dor) e somente depois de 1 ano encontrei um que sem exames nenhum já foi dizendo que era endometriose e graças a Deus  ela conseguiu fazer a cirurgia. Tanto comigo quanto com vários relatos em quase 100 % a reclamação era sobre os médicos, mesmo sabendo sobre a precariedade dos hospitais, apesar de que as minhas maiores reclamações foram de  hospitais particulares  . O  último relato que ouvi foi de uma mãe que estava com seu bebe vomitando muito e com enorme hematoma na testa após ter caido, foi feito exames só que o médico não iria dar o parecer porque estava dormindo e não tinham autorização de acordá-lo, isso em clínica particular e na emergência. No entanto isso foi tudo numa capital, tenho relatos de falta de humanidade de médicos que se passaram a muitos anos..bem antes do governo atual, então vamos parar um pouco de hipocrisia porque a população dessas cidades que necessitam destes médicos não estão nem aí pra quem está no governo e sim o que ele pode fazer por eles. Deixem que eles falem o que é melhor , e referente aos médicos que aceitarem trabalhar nestes locais, por favor vá ciente de tudo que tem e não tem nestes lugares, porque dizer que há falta de medicamentos e material para trabalhar, nas capitais também acontece e não soube de nenhum que pediu demissão por este motivo . Sabe, as vezes só a presença de um médico quando te olha e diz que vai cuidar de você, parece que a dor diminui mais da metade. Vamos pensar primeiro nestas pessoas, depois vamos cobrar não somente ao governo federal, mas principalmente aos estaduais e suas prefeituras(que são de vários partidos)que recebem as verbas para usar em benefício da população.  

é, os cubanos dizem que

é, os cubanos dizem que tambem não existem presos políticos e vc tambem acreditou. para quem acredita em outdoors de propaganda em cuba vc ser chamado de intelectual é uma ofensa ...

Texto idêntico ao governista.

Texto idêntico ao governista. Patrocínio?

estranho.....

Estranho o texto do Sr. Frei Beto é muito parecido...inclusive as estatísticas com o do Sr. Dr. Pedro Saraiva postado pelo Sr. Luis Nassif em seu Blog http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-questao-da-vinda-dos-medicos-... estranho.....estão finaciados por alguém.....? quem não deu crédito a quem ai nesta história ou estória...? 

Bem vindo medicos formados no exterior

São poucos os médicos cubanos ou que se formaram em Cuba que conseguem atuar no Brasil. “São bem vindos os médicos formados no exterior e que passam pela revalidação legal de seu diploma para exercer sua função. Não questionamos a importação de médicos, desde que eles passem pela revalidação. Hoje, por exemplo, nós temos 299 médicos formados no exterior registrados no Conselho. Desses, apenas 37 tem diploma de Cuba”. A revalidação e o registro é a garantia de que o médico possa exercer bem sua função. O processo consiste em três etapas. Na primeira, o médico precisa apresentar sua grade curricular( no Brasil tem curso de sus ela em Cuba nao), pois ela precisa ser semelhante à brasileira. Na segunda etapa, ele precisa fazer a prova escrita. Somente se passar por essas fases o médico faz a prova prática. A PERGUNTA QUE NÃO CALA: e o povo brasileiro que vive nos lugares onde não tem médicos os médicos brasileiros não querem ir trabalhar lá irão continuar sem assistência à saúde? Estão aqui querendo ideologizar a questão. Sou a favor de que venham médicos de qualquer país do mundo, em caráter temporário, e desde que prestem os serviços nas regiões onde precisam. Essa gente precisa saber que o Brasil é um continente (não é apenas o sul e sudeste desenvolvidos) e tem muitas carências. E pegar ou largar, precisamos dos médicos pra já. QUER DIZER QUE AS MULHERES QUE RESIDEM NOS CONFINS DA AMAZÔNIA, POR EXEMPLO, NUNCA IRÃO TER DIREITO A SER ASSISTIDA POR UM GINECOLOGISTA??? Isso é um absurdo, o governo federal precisa quebrar essa reserva de mercado dos médicos brasileiros! Dr. Joanderson Lima 

Bem vindo medicos formados no exterior

Concordo plenamente com o Dr. Joanderson Lima.

Concordo em parte, a

Concordo em parte, a necessidade de profissionais é grande, mas entendam que nos últimos governos as medidas  de resolução são focadas em medidas paliativas. Investir nas faculdades de medicina que dispomos pq? Mais fácil chamar médico de fora né, melhorar a estrutura de PSF e hospitais do interior pq? O problema está longe de ser somente a falta de profissionais, quero estrutura, medicamentos, exames, contrato de trabalho. Não tenho nada disso, falo por experiência, sou médica, formada em faculdade federal, que já trabalhou no interior dos estados do Pará e Maranhão, trabalhei em lugar que fui obrigada a fazer internação social: motivo, a família não tem comida, os pais não sabem ler, como podem administrar medicamentos? Tenho  conhecimento de causa, já levei calotes de Prefeitura, já cheguei em casa e chorei por ver gente morrer..... Como os promotores, juízes e outros profissionais vão quando devem trabalhar no interior? Recebem garantias, com a minha classe, os prefeitos e secretários enrolam para assinar contratos.... Só peço que reflitam sobre isso, pq daqui a pouco é policial chinês...professor de Cuba.... DEFINITIVAMENTE, ISSO NÃO VAI RESOLVER O PROBLEMA DA SAÚDE DO BRASIL, MAIS UMA MEDIDA PALIATIVA...Como tantas outras, bolsa família, cotas em faculdades... Observem ao redor, comecem a produzir opinião, parem de comprar histórias. Quanto a presença de profissionais na região norte, já trabalhei no Marajó, lá vai ginecologista quando remunerados, ninguém me contou....eu vi! Caso queira saber mais da realidade da outra parte do país, me procure, tenho fatos concretos. 

médicos cubanos

Deu no OrkutCuba: Novos “médicos de pés descalços”Um olhar sobre a ação internacional da medicina cubana. Ao oferecer tratamento gratuito de excelência a milhares de pacientes em todo o mundo, ela demonstra que é viável garantir a todos o direito aos bens e serviços necessários a uma vida digna. http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=65058445&tid=5400758269053242658http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=65058445&tid=5634862964829588770 http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=65058445&tid=5232882102125202722

O que o Brasil precisa nao é

O que o Brasil precisa nao é de médicos. De que ainda medicos nos confins do país, para quando eles receitarem um remédio e o mesmo nao estiver disponível? Quando um paciente sofrer AVC nao houver UTI? Quando for solicitado um exame, ele so existir em Sao Paulo? Isso nada mais é que uma imposição da desvalorizacao da classe. Existem enfermeiros nesses lugares? Existem juizes suficientes no pais? Existem policiais suficientes? Se for por necessidade, deveremos importar um novo PAÍS!!!

Querido....esses medicos

Querido....esses medicos cubanos sao os mesmos filhos de partidarios do pt que foram "estudar" em  cuba. Todos nos sabemos que a fac de Medicina de Cuba e uma enfermagem melhorada... Por que trazer Medicos de Cuba e nao de outros paises: Pq somente em Cuba se aceita um estudante despreparado, partidario do PT, para fazer Faculdade; porque eles nao fazem fac aqui no Brasil, pq dai tem que estudar para passar no vestibular...e os partidarios do PT nao precisam disso...

resposta para o Anonymous

Querido engano seu..Vc infelizmente não sabe o que é ser enfermeiro favor não comparar como uma enfermagem melhorada...profissão médico é muito diferente da prof.enfermeiro cada um com o seu saber...

PERFEITA COLOCAÇÃO! É A

PERFEITA COLOCAÇÃO! É A TURMINHA DO PT QUE SEMPRE PODE TUDO! 

MÉDICOS CUBANOS

Prezados senhores, em especial o Sr. Frei Betto,Fico muito admirado por ver que os senhores, no alto de suas consciencias politico-nacionalistas são fervorosamente favoráveis ao ingresso de médicos cubanos na nossa querida nação "tupiniquin". POis bem, vamnos aos fatos: primeiramente gostaria de dizer que não sou médico nem nenhum familiar. Segundo, não consigo realmente entender que com tanta informação e um pouco de história, digo história essa bem recente e vizinha, não consiguam visualizar que não passa de um plano para implantação do sistema socialista no Brasil. Chego a essa conclusão pois o mesmo sistema foi feito na Venezuela e olhem bem que maravilhoso exemplo de nação, sem burocracia, com condições plenas de trabalho ao cidadão, saúde de qualidade, incentivo ao mercado interno sendo um setor chave a televisão... perdõe os aqui leêm esse comentário mas estou demasiadamente irônico hoje, não sei se conseguiram notar. Para aqueles desinformados, quem avaliou os ENVIADOS DA PRESIDENTE foram os cubanos e o mst?????? Devo ter me equivocado pois , até onde eu saiba, o regime cubano não tem capacitação médica e muito menos os membras do mst( não é uma ofensa mas não sabia que os chefoes do mst eram formados em medicina por uma faculdade reconhecida pleo MEC). São agentes do governo disfarçados de cordeiro, entenderam pelo menos o trocadilho? Vão, obviamente, começar com a população carente tanto de educação, saúde e boas condições de vidas( das 3 citadas, duas o governo deveria fornecer com QUALIDADE!!!!) e aos poucos implantar a mentalidade socialista dando inicio ao plano em conjunto do senhor Fidel Castro somados a Lula e Dilma. Bem, depois de ler esse comentário devem estar achando que sou um capitalista selvagem, não é bem isso. Desafio aos leitores a me provar onde, quando e por quem o regime socialista foi implantado e deu certo. Senhores, cuidado com os companheiros pois daqui a pouco, nem computador ,meus caros, terão para escrever.ATT,Cidadão assustado 

Eu espero que a sua

Eu espero que a sua demasiada ironia tenha atingido seu comentário como um todo, do contrário, não me resta outra alternativa senão acreditar que você é desprovido de massa cinzenta.

hhh

kkkkkkkkk seu comentário é hilário!!!! q comédia vc é!!! cara tu não sabe nem o q esta dizendo ... tu não deve sequer saber o q é socialismo cientifico

Médicos cubanos

Muito bom o texto do Frei Beto. Proporciona a todos uma reflexão sobre as políticas públicas na área da saúde aqui em nosso país. A medicina cubana é excelente, sobretudo na prevenção. Não será padre nem SUS Francês que encare uma realidade adversa, pois esta é a grande virtude dos médicos e professores cubanos: saber trabalhar - e muito bem - no caos salvando milhares talvez milhões de vidas. Infelizmente a nossa saúde está mercantilizada com o discurso vazio de que médico e professor não são sacerdotes. A palavra solidariedade parece que não está nos dicionários de alguns dos comentaristas aqui, pois é justamente a solidariedade e a justiça que nos tornam mais humanos e dão sentido a vida. Creio que não é pedir muito pensar as coisas de uma outra maneira, despojando-se dos valores ideológicos do capitalismo.

RESPOSTA AO FREI BETO

 RESPOSTA AO FREI BETODurante toda a última semana a mídia inteira tem se preocupado com o tema dos médicos cubanos. É um desses raros momentos em que se percebe aquela que, em texto anterior, defini como uma das maiores características do brasileiro – a arte de falar sobre o que não sabe. Senão; vejamos: apresentadoras loiras de programas de TV, comentaristas de futebol, prefeitos..Não importa quem você seja mas basta invocar o “sofrimento do povo” para ter o direito de enfurecer-se com a situação de saúde no Brasil.Houve um tempo em que os medíocres sabiam (mesmo na sua mediocridade) permanecer em silêncio. Reconhecia-se a história das pessoas, seu esforço, e seu trabalho. Não ensinava-se uma sociedade inteira a pensar que pobreza e miséria eram reflexo de uma luta de classes e nós vivíamos muito mais próximos da ideia de que colhemos o que plantamos.Alguns dias atrás escrevi sobre a responsabilidade de certos colegas na ideia de trazer os cubanos para o Brasil. Mostrei quem eram estas pessoas dentro das faculdades de medicina. Estabeleci o “perfil”, como gostam de dizer os psicólogos, deste tipo de gente e desmascarei a hipocrisia da “new left brasileira”. Hoje o recado é mais curto: abrindo uma destas coleções de anúncios comerciais, reportagens sobre o aquecimento global e apologia do homossexualismo que são os jornais brasileiros me deparei com o “comentário perfeito” sobre a vinda dos cubanos ao país – um sujeito aqui de Porto Alegre que é apresentado como “formador de opinião” foi o seu autor. Disse esse cidadão aquilo que considero uma “pérola” do lugar comum em termos de manifestação sobre o tema – … Mas tem de haver médicos em todos os locais, até nos indesejados pelos médicos brasileiros. Entonces, que vengan los cubanos! Porque o que importa é a Saúde.Querem saber por que uma frase assim é capaz de fazer tanto sucesso? Explico: é por que quem a pronuncia afirma, aos brados e cheio de razão, que qualquer atendimento é melhor do que nenhum!Vocês, que gastaram seu tempo me lendo até aqui, têm dúvida de que isso é verdade? Faço uma proposta para resolver a questão: imaginem que estão às 2h da manhã de um dia de semana, esperando quase 12 horas para serem atendidos numa dessas espeluncas chamadas pronto-atendimentos e com um filho doente nos braços. Pergunto a cada um – vocês acham que seu filho, pai ou mãe (só para não citar vocês mesmos) ficariam conformados com “qualquer atendimento” ou buscariam aquilo que há de melhor na medicina local? Aí está a resposta – “qualquer atendimento” é melhor do que nada para os “outros”; jamais para nós e nossas famílias, né? Até onde eu sei, para nós mesmos e para aqueles que amamos, queremos sempre o melhor possível. Negar o mesmo às outras pessoas vai muito mais longe do que ser contra os médicos – é negar a própria natureza cristã da sociedade em que vivemos. É esse cristianismo e essa noção de caridade que Frei Beto esqueceu quando aceitou apoiar um partido criminoso, ateísta, que compra deputados, assassina prefeitos e faz campanha eleitoral com dinheiro das FARC. Sobram médicos no Brasil! Temos colegas trabalhando em condições veterinárias, atendendo sem recurso algum e com contratos de trabalho (quando existem) criminosos em termos de salário, estabilidade no emprego e progressão de carreira. Beto deveria lembrar das palavras de Jesus Cristo quando deixou claro que não devemos desejar aos outros aquilo que não queremos para nós mesmos. Se isto não é verdade, por que ele não pede a Lula para tratar-se no SUS?Jamais esqueçam disso quando lerem a escória da imprensa brasileira defendendo, ao lado dos seus patrões federais, a vinda dos médicos de Cuba. Não tenham também a tentação de cair na armadilha daqueles que afirmam – mas meu amigo, nem toda população pode ter o que há de melhor na Medicina a seu dispor. Esse tipo de gente não tem o compromisso legal de dizer ONDE está o “melhor” e QUANDO esse “melhor” vai fazer a diferença entre a vida e a morte. A ralé que defende a importação de médicos não tem o mínimo interesse na vida das pessoas doentes. É aos próprios doentes e aos médicos brasileiros que essa questão diz respeito. Imploro como médico formado há quase 20 anos: não fiquem contra nós! Vocês não precisam do “papai Lula” e da “mamãe Dilma” para cuidar do vocês quando ficarem “dodói”. Tudo isso é mentira e desespero político de gente que viu que, no seu delírio comunista, acabou com a estrutura hospitalar do país, que não pode mais esconder que as pessoas estão morrendo, e que nós médicos temos MEDO de trabalhar fora das grandes cidades.Foi provavelmente um médico brasileiro quem primeiro olhou para vocês quando nasceram e quem, se Deus quiser, vai estar com vocês na hora da morte. Não aceitem a mentira do Governo e dos prefeitos mesmo que estejam esperando atendimento há anos. Trazendo os cubanos vocês NÃO VÃO ter seus problemas atendidos e a nossa medicina vai ser humilhada perante todo o resto do mundo..Porto Alegre, 20 de maio de 2013. 

Parei de ler no partido

Parei de ler no partido  ATEÍSTA, FAZ CAMAPANHA COM DINHEIRO DA FARC. Seu comentário está cheio de aberrações, mas isso foi o cúmulo. Ainda bem que, na teoria, o Estado deve ser LAICO. Seria sofrível ser governado por um governo que acredita na existencia de um Deus, ou que governa segundo mandamentos da bíblia. Ainda bem que o PT é ATEÍSTA, meu caro. Sério que voce fica citando trechos da bíblia achando que isso é argumento? E sim, antes um atendimento qualquer do que morrer na fila de um pronto-atentidmento. E quem disse que os cubanos farão um atendimento "qualquer"? Se vc já pesquisou sobre a medicina cubana, vai descobrir que Cuba tem a melhor medicina preventiva do muno, e seus médicos são preparados para atender em casos de extrema pobreza e falta de estrutura. Não desvalorizo, em hipótese alguma, a capacidade do médico brasileiro. Acredito sim que o Brasil forma ótimos profissionais, porém não são suficientes! E sim, precisamos de mais infra-estrutura, os médicos precisam mesmo de um plano de carreira. Mas trazer médicos cubanos não anula essas necessidades! Como alguém seria prejudicado com a vinda desses médicos?

Medida populista

Sou medico brasileiro formado em Cuba, revalidei meu diploma como manda a lei. Trabalhei durante alguns anos em pequenas cidades do nordeste brasileiro, agora vivo e trabalho em São Paulo. É impossível exercer a medicina no interior do pais sem revoltar-se com as condições de trabalho, hospitais sucateados, postos de saúde precários, falta de exames, sem contar com a instabilidade de emprego, se mudar o prefeito pode pegar sua mala e procurar outra cidade pra morar. O povo e leigos no assunto acham que um medico fará muita diferença nestes casos. A vinda de médicos estrangeiros deve acontecer dentro da lei, com diplomas revalidados, de qualquer nacionalidade, porém nenhum medico enfrentará essa árdua tarefa para se submeter a penúria que é trabalhar no interior. A verdade é que o principal interesse deste assunto aos prefeitos e ao governo federal é puramente eleitoreiro, dar um falso ar de melhoria a saúde sucateada e jogada ao lixo - grande pedra no sapato do governo Dilma.

MÉDICOS CUBANOS

Há uma questão legal envolvida. No Brasil, ainda bem, só podem exercer a medicina os formados no país ou formados no exterior com título validado por exame apropriado. Se quisermos modificar isso temos de votar lei específica que permita médicos formados em qualquer parte virem ao Brasil trabalhar. É lógico que na ausência do médico e de qualquer pessoa mais habilitada até um curioso pode ajudar em algo, mas se a presidência quer modificar a lei, que mande uma MP ao Congresso e certamente terá aprovação sem qualquer discussão, mas com algum gasto, como tem acontecido nestes últimos anos.

Médicos Cubanos

 Não resta dúvida sobre os efeitos benéficos para o Brasil de uma aproximação com o modelo de saúde cubano.A presença destes profissionais estimulará a Estratégia de Saúde da Família que claudica por diversos motivos, dentre estes a carência de médicos nos locais mais afastados. Neste aspecto a vinda dos cubanos pode representar um recurso importante. No entanto, é preciso levar em conta que parte expressiva do desinteresse dos médicos está associado a falta de condições de trabalho compatíveis com a dignidade e, ainda mais grave, com a ausência de uma proposta de carreira de estado para o médico público. Sem garantir estabilidade e um plano de carreira para os que optam pela saúde pública, o ingresso de estrangeiros é uma medida sem consequências, não muda o cenário atual nem futuro. Quanto a proposta do Senador Cristovão Buarque, de um programa para interiorizar os médicos rescém-formados em universidades públicas, me parece procedente caso estensivo a todas as demais profissões, que as cidades menores também carecem, no escopo de um diganóstico das necessidade acompanhado de um programa para que as prefeituras indiquem áreas de incentivo a fixação de profissionais. Ainda partilhando das ideias deste iminente senador, me parece necessário um plano de federalização das ações de saúde, similar ao que reivindica para a Educação.

Medicina Brasileira

Agradeçam porque nunca precisaram e, queira Deus, nunca procurarão algum serviço de atendimento SUS. Quando isso acontecer, qualquer ser bem informado vai entender que o buraco é muito mais embaixo. Verão o médico lá, tão desesperado quanto os pacientes.Não se melhoram os indicadores de saúde com médicos estrangeiros quando falta saneamento básico. E sabiam que a educação é uma das principais ferramentas da medicina preventiva? Vejam lá na OMS como estão esses dados em Cuba!Por enquanto, continuem pagando seus planos de saúde e criticando bem de longe quem está imerso no dia a dia do SUS.

Médicos no Interior

Caro Frei Beto, embora admire as suas colocações na maioria das vezes, desta vez sou obrigada a descordar. Sou médica, passei longos anos da minha vida estudando arduamente, tenho a graduação, mestrado e doutorado, todos feitos aqui no nosso país, e não acho que o ensino médico brasileiro deixe nada a dever em relação a qualquer outro país! O problema da saúde tanto no interior, como nas grandes cidades do país é muito básico! Não há investimento em saúde. Médicos trabalhando no interior conheço vários, e todos querem voltar à cidade, motivo? Muito simples... no interior de Santa Catarina (Sul do País, onde se acredita as condições sejam melhores) existem cidades em que no nível de pobreza é tão alto que numa unidade, que se diz de terapia intensiva, os exames básicos, como a gasometria (dosagem do oxigênio no sangue) que serve para calcular os parâmetros do respirador (que auxilia o paciente a respirar quando está grave) levam 3 h para ficar prontos. Como se trabalha numa unidade destas?  Como você faz medicina básica em um local onde o banheiro das pessoas é uma fossa, que passa a 2m de onde está plantada a horta familiar?  E um exame simples de sangue ou fezes demora mais de 2m para ser marcado e para o resultado nem se fala. É muito cômodo culpar  os médicos e dizer que são mercenários... mas se realmente o dinheiro fosse a coisa mais importante... muito de nós seríamos políticos, não médicos! Ou faríamos direito, já que o salário inicial de qualquer juiz, promotor ou defensor é no mínimo 4X o salário de um médico. Na medicina, diferente de outras carreiras, um mínimo de estrutura e investimento (não estou falando de ressonância magnética, mas sim de leitos suficientes e ambulatórios com radiografia de tórax e hemograma), são necessários, afinal apesar de termos raciocínio clínico, a comprovação do diagnóstico é essencial, até porque se não o fizermos, ainda corremos o risco de sermos processados por erro médico! Não acho que Cubanos ou Mexicanos ou Americanos possam resolver nosso problema, pois ele não ocorre por falta de recursos humanos e sim por falta de investimento na saúde como um todo!

Então há necessidade de mudança

Estimados, muito pertinente o que a nossa comentarista apresentou. Entretanto, é preciso tocar na grande ferida. Contrariamente ao outro comentarista que demoniza o socialismo, somente a transformação radical do modelo econômico capitalista para o socialismo é que será possível o que todos nós queremos no que tange à saúde e à educação. Sob o ponto de vista do socialismo democático e por convicção ideológica é inaceitável a existência de ricos e pobres, a existência de cidades ricas e cidades pobres, a privatização e a mercantilização dos setores estratégicos para a manutenção de serviços essenciais de alta qualidade e gratuito. Nesse sentido, o próprio cristianismo que tanto menciona o outro comentarista, seria importantíssimo nesse processo de transformação radical do modelo econômico e social no Brasil, uma vez que Jesus pregava a igualdade e amor ao próximo. Assim teríamos uma sociedade mais humana onde todos pudessem viver com dignidade e prazer. A estratégia do atual governo, por mais que tenha sido eleito sem o meu voto, tem seu aspecto positivo, uma vez que a aproximação com a medicina cubana certamente vai nos proporcionar apredizagens recíporocas. O fato é que com o atual modelo econômico jamais conseguiremos distribuir os recursos de forma justa.

De acordo com dados da

De acordo com dados da demografia médica no Brasil, temos 2399 médicos estrangeiros que exercem a medicina legalmente no país, após aprovação no Revalida, a grande maioria está concentrada nos grandes centros urbanos como a capital paulista. Qualquer profissional, seja médico ou não, brasileiro ou não, tende a procurar crescimento profissional e boas condições de trabalho.Veja que interessante: de 1970 à 2010 a população brasileira cresceu 104,8%, enquanto o número de médicos no país aumentou 530% no mesmo período. Hoje temos cerca de 400 000 médicos (5º país no mundo com mais médicos em números absolutos) e formamos aproximadamente 16 800 por ano. A razão atual é de cerca de 2,0 médicos /1 000 habitantes (semelhante, por exemplo, à Coréia e Japão), mas devido ao crescimento exponencial no número de escolas médicas a partir de 1996 (apenas entre 2 000 e 2010 foram criados 77 cursos de medicina), chegaremos em 2020 a 2,5 médicos / 1 000 habitantes.Quantitativamente os dados acima mostram que não só não faltam médicos, como o número de formandos por ano está aumentando significativamente. Temos na verdade uma distribuição desigual onde, por exemplo, Vitória - ES tem 10,41 médicos / 1 000 habitantes enquanto 345 municípios alegam não ter médicos. Esse contexto é reflexo da incapacidade do Estado em criar uma carreira, organizar os serviços de saúde e prover as mínimas condições para se praticar a medicina nos rincões do país.Poderia passar o dia argumentando sobre o subfinanciamento do SUS (a saúde recebe apenas 3,5 do PIB, sendo os recursos escassos e mal geridos), hipotrofia da saúde pública (tem uma demanda 3,5 vezes maior do que o privado, mas possui 4 vezes menos médicos disponíveis, o que é reflexo de se investir apenas 45% dos gastos totais em saúde no SUS), dentre tantas outras mazelas da saúde no país, mas acho que não te convencerei. Não acredite na falácia de se resolver os problemas da saúde pública brasileira "importando" médicos. Quantitativamente 6 000 em um universo de 400 000 nem sequer faz diferença. O governo procurou uma medida midiática para disfarçar os baixos índices de aprovação do governo federal no quesito saúde pública e lançar o Ministro da saúde, Alexandre Padilha, como candidato ao governo de São Paulo.Dados: http://www.cremesp.org.br/pdfs/demografia_2_dezembro.pdf

Médicos Cubanos

Frei Beto, médico não é como padre ou curandeiro, que dá conforto com palavras. O médico, para tratar as doenças e evitar a morte precisa de equipamentos, remédios, estradas. Se fir para ensinar a lavar as mãos após fazer cocô, não precisa de médico. isso o padre pode ensinar. E se estiver sem padres na região, pode importar da Rússia, da China, da Coréia do norte ou de Cuba. 

Ótimo ! Tirou as palavras de

Ótimo ! Tirou as palavras de minha boca !O governo só quer resolver as coisas com algumas canetadas e medidas paleativas, nunca tratando as questões de uma forma consistente, que traga benefícios para o futuro. Esse é o jeitinho Brasileiro, e o exemplo que vem de cima, sempre fazendo cortesia com o chapéu dos outros !  

Medicos Cubanos

Estou totalmente de acordo com o articulista. Quem conhece o interior não se pode dar ao luxo de esperar a "boa vontade" de um CFM elitizante, burocrata e insensível ao sofrimento humano. Que os Conselhos de Medicina no Brasil  deixem de lado o corporativismo e dê prfosseguimento aos milhares de processos que correm contra os médicos que se utilizam da medicina da maneira pura e simplesmente para se enriquecer, sem qualquer ética, e às custas da saúde dos pacientes.

Medicos Cubanos

O CFM (Conselho Federal de Medicina) não está com medo dos médicos cubanos. Está com medo de perder a mamata. Os médicos no Brasil, com raríssimas exceções, (graças a Deus existem exceções),  estão preocupados com os próprios bolsos, senhores da vida e da morte, propagandistas e vendedores de laboratórios e de empresas de instrumentos e materiais médicos-cirúrgicos.

Valorizem os brasileiros    

Valorizem os brasileiros        Dá para fazer medicina cubana com médicos brasileiros. Dá para fazer medicina francesa valorizando o SUS. São políticas públicas que resolvem, (ex: melhorar o Provab e a proposta do Cristóvam Buarque). Tem que se investir em saúde e parar de tapar o sol com a peneira e chamar os médicos de insensíveis com frases de efeito tipo: "Que peça a Deus o milagre da cura?". Não tem nada contra estrangeiros, mas não vão resolver! O SUS está sucateado. Só quem está dentro do sistema entende o desastre. Ficar "ensinando medidas preventivas, como cuidados de higiene" é muito pouco. O Brasil precisa do SUS da França. O resto é indústria de voto.

Deixe seu comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
12 + 2 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.