Relatório recomenda ao Brasil aprovação da PEC do Trabalho Escravo

Foto: Divulgação/MTE

Existem atualmente no mundo 29,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão. Segundo a Walk Free, o Brasil está em 94º entre os 162 países avaliados

18/10/2013

 

Leonardo Ferreira,

de São Paulo, da Radioagência NP

 

O relatório Índice de Escravidão Global 2013, divulgado nessa quinta-feira (17) pela Fundação Walk Free, recomenda que o Brasil aprove a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Trabalho Escravo, que tramita há dez anos no Congresso Nacional.

A organização recomenda ainda que o Brasil aumente as sanções, a pena e a multa para o uso de mão de obra forçada, fortaleça a Lista Suja do Trabalho Escravo e pressione ainda mais as empresas que produzem ou que usem produtos provenientes de trabalho análogo à escravidão.

Existem atualmente no mundo 29,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão. Segundo a Walk Free, o Brasil está em 94º entre os 162 países avaliados proporcionalmente em relação à população. O país, segundo o relatório, tem de 170 mil a 217 mil pessoas em situação análoga à escravidão.

Somente em 2012, o Brasil registrou 189 casos de trabalho escravo, com a libertação de 2.723 pessoas, segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Segundo a CPT, as atividades nas lavouras e canaviais lideram o número de casos, seguida dos setores de produção de carvão vegetal usado em siderurgia e desmatamento.

A exploração sexual, sobretudo o turismo sexual infantil no nordeste, também são campos sensíveis, segundo o relatório, que cita ainda a exploração da mão de obra de imigrantes bolivianos em oficinas de costura.

Comentários

PEC DO TRABALHO ESCRAVO

Sub emprego já é uma desumanidade, imagina trabalho escravo. Sou totalmente a favor da abolição, se o trabalhador produz riqueza é para que ele usufrua também, que tenha direito a uma vida digna e perspectivas de evolução.

Deixe seu comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA
Esse desafio é para nos certificar que você é um visitante humano e serve para evitar que envios sejam realizados por scripts automatizados de SPAM.
3 + 2 =
Resolva este problema matemático simples e digite o resultado. Por exemplo para 1+3, digite 4.