Opinião

Curto e Grosso: O buraco é mais embaixo

O problema não é o treinador

Belo Horizonte

,
Falta formar jogadores excepcionais, verdadeiros craques / Rafael Ribeiro / CBF

Já faz tempo que a Seleção Brasileira não empolga ninguém. Há quase uma década, os jogos da equipe amarelinha têm perdido o atrativo para a maioria das pessoas. Quem ainda para o que está fazendo para ver o Brasil jogar?

Em regra, a solução tem sido buscada no mais novo treinador. Após o pentacampeonato, em 2002, as esperanças foram depositadas em quatro nomes: Parreira, Mano Menezes, Felipão e Dunga. Contudo, o desempenho da Seleção tem contrariado as expectativas, indicando que o buraco é mais embaixo. 

O problema não é apenas o treinador. Falta formar jogadores excepcionais, verdadeiros craques, sobretudo no meio campo, que tragam de volta o brilho e a eficiência do tempo em que a camisa amarela era respeitada. Sem isso, até mesmo Tite, único técnico à altura da função, corre o risco de sair queimado da Seleção.

Você sabia?

A Seleção Brasileira foi a única a disputar todas as 20 copas do mundo já realizadas, quer por ter sido convidada, por ter ganhado a Copa anterior, por ser país sede ou por ter vencido as Eliminatórias. A primeira edição das Eliminatórias se deu em preparação à Copa de 1934. Na atual edição, que dá vaga para a Copa de 2018, o Brasil tem o seu pior desempenho, embora seja a equipe mais cara da competição.