Palestina

Torcedores do Celtic realizam protesto pró-Palestina em jogo contra time israelense

Manifestação da torcida organizada Green Brigade poderá render punições da Uefa ao clube escocês

São Paulo (SP)

,
Torcedores do Celtic durante protesto pró-Palestina / Reprodução

O clube escocês de futebol Celtic Football Club protagonizou nesta quarta-feira (18) um protesto pró-Palestina durante a partida contra o time israelense Hapoel Beer sheeva, na primeira fase de classificação para a Liga dos Campeões, no estádio Celtic Park, em Glasgow (Escócia).

Membros da torcida organizada do time escocês, a Green Brigade, levantaram bandeiras da Palestina, demonstrando o posicionamento político pelo reconhecimento do Estado palestino, que tem seu território ocupado pelo Estado judeu desde 1948.

A mobilização dos torcedores ocorreu através de uma página no Facebook intitulada "Erga uma bandeira pela Palestina, pelo Celtic, pela Justiça", que criticava o apartheid praticado pelo estado de Israel.

É esperado que o clube sofra punições pelo protesto pró-Palestina, uma vez que as autoridades escocesas já haviam advertido a Green Brigade sobre a presença das bandeiras, ameaçando-a de detenção.

Identidade

Em entrevista à Vice, o torcedor do Celtic e ex-membro do Exército Republicano Irlandês (IRA), Sean O'Congaile, afirmou que o posicionamento se dá também por conta da identificação aberta entre a luta irlandesa por independência e a causa palestina.

"Um torcedor politizado do Celtic quase que inevitavelmente irá estabelecer correlações com outros que consideramos sofrer injustiças análogas ao sofrimento do povo irlandês. Neste caso, olhamos a Palestina como um paralelo óbvio: o confisco das terras, a legislação repressiva e a força militar excessiva para defender essas injustiças", completou.

O próprio Celtic tem suas origens em uma população marginalizada: foi fundado por imigrantes irlandeses que haviam fugido para a Escócia devido à Grande Fome na década de 1840. Naquele período, a Irlanda teve sua população reduzida em 25% por conta da fome, de doenças e da emigração em massa.

Histórico

Não foi a primeira manifestação política da torcida do Celtic. Ela  já se posicionou em campo levantando faixas pela independência da Escócia e criticando a gestão da União das Federações Europeis de Futebol (Uefa). Ambos os processos renderam multas e punições ao clube, que nos últimos cinco anos já sofreu oito sanções sobre o comportamento de seus torcedores nas competições europeias.

A torcida também já havia defendido a causa palestina anteriormente. Em 2014, durante um jogo da Champions contra os islandeses do Reykjavík, os torcedores, chamados de ultras alviverdes, levantaram bandeiras do país árabe. O mesmo ocorreu dois anos antes, contra o Barcelona.

Edição: Camila Rodrigues da Silva