Resistência

Em carta, Levante firma compromisso de construção de um Projeto Popular para o Brasil

Movimento promete manter forte resistência ao governo Temer e pede eleições diretas

São Paulo (SP)

,
Escracho do Levante em frente a casa de Michel Temer em São Paulo, em abril de 2016 / Mídia Ninja

Em carta pública, o Levante Popular da Juventude encerra as atividades de seu 3º Acampamento Nacional com carta de repúdio ao golpe e firmando o compromisso de construir um projeto popular para o Brasil. Entre 5 e 9 de setembro, cerca de 7 mil jovens se reuniram em Belo Horizonte (MG) para debater o futuro do movimento.

“Nosso 3º Acampamento Nacional é fruto de intensa construção coletiva, que acontece cotidianamente em nossos encontros de células, em nossas atividades de formação e nos incansáveis momentos de luta que canaliza a rebeldia da juventude para a conquista do poder pelo povo”, diz o texto.

Segundo os jovens militantes, o impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff se consolidou como um “golpe contra a democracia e o povo”, em um processo resultante de uma conspiração do "imperialismo estadunidense", dos setores do Judiciário e do empresariado nacional, todos em parceria com a Rede Globo.

Na carta, o movimento firma compromisso de manter forte resistência ao governo Temer e repudia seu projeto para o país. "Destruindo o meio ambiente e a soberania nacional, criminalizam todos que se levantam contra eles e disseminam morte e violência contra o povo. Para eles, a nossa vida não tem valor, como não tem valor a democracia. O golpe rasgou a Constituição de 1988".

“A política não pode ser a arte do possível, reproduzindo privilégios e desigualdades, pautada em indivíduos e não em coletivos. Reinventar a política é fazer o extraordinário cotidiano, compartilhando sonhos e, coletivamente, os tornando possíveis. Temos o desafio de construir um novo ciclo na esquerda brasileira que supere a conciliação de classes e coloque o projeto popular na ordem do dia”, aponta.

Ainda na nota, o Levante firma o compromisso de construir um programa popular para a juventude brasileira por meio da unidade das forças populares e o enraizamento da Frente Brasil Popular em todos os estados do país. 

"Temos consciência da nossa grande responsabilidade. Estamos vivendo momentos decisivos da nossa história e nos colocamos ativamente na construção e disputa dos rumos de nosso país. Queremos construir junto a toda juventude brasileira um novo ciclo de lutas para enfrentar as forças neoliberais. Nossa ousadia e nossa criatividade são motores para nossa ação. Não nos deixaremos esmagar e não baixaremos a cabeça. Seguiremos lutando pela democracia popular: o povo no poder" conclui.

Edição: Camila Rodrigues da Silva