Editorial

Mobilização pela democracia

Jornada de Lutas pela Democracia inicia no dia 9 de maio, com vigílias de grupos religiosos e apresentações artísticas

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Reformas ameaçam direitos adquiridos na CLT / Charge: João Bosco Jacó de Azevedo

No dia 10 de maio, o ex-presidente Lula está convocado pelo juiz Sérgio Moro a depor em audiência na operação Lava Jato. Em três anos de investigação, nada se comprovou contra o ex-sindicalista – o que gerou apenas exposição e desgaste na mídia.

Durante essa semana, surgiram boatos sobre a transferência da data da audiência. Apenas quarta-feira (26) Moro tomou uma definição. A guerra psicológica envolve a mídia e o judiciário. Ela tem o objetivo de fragilizar a mobilização popular em defesa dos direitos políticos do ex-presidente, impedindo possível candidatura para 2018.


Queremos reformas que atendam aos interesses dos trabalhadores, e não das elites


Mesmo com a mudança, centenas de caravanas virão de modo pacífico à capital do Paraná. A chamada Jornada de Lutas pela Democracia inicia no 9 de maio, com intervenções de grupos religiosos, advogados, artistas, até o dia 10. Todo esse período será de lutas, desde a greve geral do dia 28 de abril, passando pelo Dia dos Trabalhadores (1º de Maio), entre outras atividades.

Não se trata apenas de um momento para afirmar a candidatura de Lula. É a chance para se pensar os rumos do Brasil que queremos, a partir de reformas que atendam aos interesses dos trabalhadores, e não das elites.

Edição: Brasil de Fato Paraná