Mariana

Justiça suspende ação contra Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBR

Processo ficará suspenso até empresas telefônicas confirmarem se escutas usadas pela denúncia foram legais

Ouça o áudio:

Casas de Mariana (MG), um ano após o crime socioambiental da Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBR / Roberto Franco/ UFMG

O juiz Jacques de Queiroz Ferreira, da Justiça Federal em Minas Gerais, suspendeu a ação penal contra as empresas Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBR, além de 22 pessoas. Todos considerados responsáveis pela tragédia na barragem de Fundão, em Mariana. O maior desastre ambiental no país ocorreu em novembro de 2015.

A decisão foi tomada no dia 4 de julho, mas só foi divulgada agora. De acordo com os advogados dos réus, a Justiça considerou válidos dados telefônicos ilegais, porque teriam sido obtidos fora do período determinado pelo mandado judicial. Os réus querem anular todo o processo, mas o juiz vai aguardar informações sobre a quebra do sigilo telefônico.

O Ministério Público Federal em Minas Gerais se manifestou por meio de nota. Disse que as alegações não procedem, porque as interceptações usadas na denúncia foram feitas dentro do prazo legal. E o que estava fora do prazo autorizado pela Justiça foi retirado dos autos.

Edição: Radioagência Nacional