Resistência

Audiência questiona Estado sobre genocídio da população negra em São Paulo

Entidades organizam evento na Assembleia Legislativa para pedir punição aos homicídios de jovens, nesta terça (10)

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Manifestante carrega cartaz na Marcha das Mulheres Negras em julho deste ano, em São Paulo / Mídia Ninja

Entidades e familiares de vítimas de homicídios violentos no estado de São Paulo vão ser ouvidos em uma audiência pública na Assembleia Legislativa (Alesp) nesta terça-feira (10). 

A iniciativa é organizada pelos coletivos Convergência Negra, Marcha das Mulheres Negras de São Paulo, Frente Alternativa Preta e pela Rede de Proteção e Enfrentamento ao Genocídio. As organizações receberam apoio da Comissão de Direitos Humanos da Alesp e da deputada Leci Brandão (PCdoB).

De acordo com o Atlas da Violência de 2017, elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), os negros têm 23,5% mais chances de serem vítimas de homicídios violentos do que jovens brancos.

De janeiro a abril deste ano, duas em cada três pessoas mortas em supostos confrontos com a Polícia Militar eram negras. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

A audiência pública vai ocorrer no auditório Paulo Kobayashi, a partir das 18h30. Na ocasião, será lançada a campanha"Pela Vida do Povo Negro! Contra o genocídio!".

Edição: Simone Freire