Coluna

Barrar título Doutor Honoris Causa a Lula é ferir princípios básicos da democracia

Imagem de perfil do Colunista

Ouça a matéria:

Lula recebe título de doutor Honoris Causa da Universidade de Aquino Bolívia (Unabol). / Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Título concedido pela Univasf trata-se de decisão do Conselho Universitário

No último dia 29 de setembro, a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), aprovou em votação no seu Conselho Universitário a concessão do título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Como diz a nota emitida pela Frente Brasil Popular em Petrolina, a concessão deste título representa muito mais do que um prêmio. Trata-se, na realidade, de um reconhecimento de tudo que foi feito pelo ex-presidente para o engrandecimento da educação pública em nosso país, e, em particular, pela ampliação do acesso ao ensino superior. São muitos os relatos concretos desta ampliação. Milhares de jovens passaram a vislumbrar a possibilidade de entrar na universidade em nosso país. Algo que até pouco tempo atrás podia parecer muito distante ou até mesmo inviável.

A própria Universidade Federal do Vale do São Francisco é um exemplo concreto desta política, levando ensino superior para milhares em diversos locais do sertão nordestino. E esta ampliação de acesso não seu deu somente com a abertura de vagas. Mas com a possibilidade dos estudantes se manterem dentro da universidade, com bolsas de assistência estudantil, bolsas de permanência, e até com restaurantes universitários.

Somente em seus dois governos, foram 14 novas universidades federais, dezenas de novas extensões, alocadas prioritariamente em regiões do interior do país, antes esquecidas.

Entretanto, antes de dar continuidade ao texto, o que danado é esse negócio de Título de Doutor Honoris Causa? É um título concedido por universidades a pessoas que tenham se destacado em determinada área e com serviços prestados à população, inclusive, independente de possuir diploma universitário. Logo, nenhuma surpresa, até então, que o ex-presidente já tenha recebido tantos títulos equivalentes.

Vale destacar que o título concedido a Lula pela Univasf não foi decisão de uma ou outra pessoa em específico. Trata-se de uma decisão tomada num órgão chamado Conselho Universitário. Tal Conselho é a instancia máxima de deliberação na Univasf, contando com a participação de todos os cursos da Universidade. Portanto, uma decisão da forma mais democrática possível. Querer barrar este título agora é querer ferir princípios básicos da democracia. 

Diferente do que é apregoado por setores da direita, politizar o debate é exatamente deixar de reconhecer tudo que o ex-presidente Lula fez pela educação de nosso país. Não só pela educação, como pela saúde, habitação e tantos outros direitos historicamente negados ao nosso povo. Direitos estes que sofrem forte ataque da elite que sempre comandou este país. Os tempos são difíceis. Mas nós resistimos. Nós continuaremos resistindo. E a vontade do povo há de prevalecer, enfim.

 

Edição: Monyse Ravenna