Saúde

Muito além de um simples tempero, alho auxilia no aumento da imunidade

Rico no componente antioxidante Alicina, o vegetal traz inúmeros benefícios para a saúde

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Alicina presente no alho é responsável por combate aos radicais livres / Pixabay

Velho conhecido na cozinha brasileira, o alho é um vegetal com forte aroma, devido à alta quantidade da substância Alicina, a mesma presente na cebola. Esse composto é responsável por reduzir os radicais livres, que são um dos causadores de doenças como o câncer, por exemplo.

"O alho também auxilia no sistema imunológico, por isso que a avó sempre tem aquele chazinho com alho quando se está gripado", explica a nutricionista Maiara Fidalgo. 

Por reduzir a pressão arterial, pessoas com hipertensão e problemas cardiovasculares podem se beneficiar do vegetal: "O alho possui uma propriedade hipotensora, ele auxilia na redução da pressão. Então, para pessoas que tem um quadro hipertensivo ou problemas cardiovasculares, ele é bem interessante", diz a nutricionista.

O alho ainda possui outras propriedades medicinais, mas Fidalgo ressalta que os benefícios são percebidos pelo corpo com o uso regular na alimentação. É preciso também se atentar ao modo de consumo, pois a substância Alicina é liberada após a trituração do dente de alho. Além disso, a nutricionista indica o aquecimento do vegetal para se obter melhor os benefícios.

“A gente percebe que em temperaturas acima de 40 graus, essas propriedades ficam mais disponíveis”, diz. 

O vegetal deve ser usado com mais cuidado por pessoas que tem pressão baixa e problemas de estômago, pois pode causar desconforto, segundo Maiara: “Pessoas que tem alterações gastrointestinais, como gastrite, ou mais absorção também é importante consumir com moderação. Outro ponto de atenção é se a pessoa deseja aumentar o consumo de alho, mas faz o uso de medicamentos para afinar o sangue ou anticoagulantes, é interessante consultar um médico porque também pode interferir", recomenda Fidalgo.

Em 2014, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), órgão que regulamenta os medicamentos no Brasil, autorizou o registro do alho por laboratórios como produto fitoterápico.

Edição: Camila Salmazio