Aromatologia

Uso de óleos essenciais na comida é grande aliado na alimentação saudável

Além de aromatizar o alimento, os óleos agregam valor terapêutico, mas é preciso ficar atento às dosagens

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Com os devidos cuidados, óleos essenciais podem ser utilizados na alimentação / Pixabay

De origem natural e mais comumente utilizado no auxilio das questões emocionais, os óleos essenciais também são aliados na cozinha. É o que conta a Chef em Alimentação Viva e professora do IBRA (Instituto Brasileiro de Aromatologia) Sheila Waligora: "Os óleos essenciais na culinária, especificamente, agregam um potencial maravilhoso pra alimentação e pra cura através da alimentação saudável". 

O óleos essenciais são substâncias produzidas pelas plantas com a função de protegê-las do ambiente externo e mantê-las saudáveis. Por conta disso, são de grande complexidade química, mas é preciso ficar atento para não confundir com essência, que tem origem sintética e pode causar reações no organismo, como explica a  Chef:  "Essência é uma substância química também, produzida, sintetizada, não é uma substância natural, porque as vezes a pessoa fala 'ai, eu vou usar tal essência', não. Nós, aromaterapeutas, trabalhamos com óleos essenciais retirados das plantas".

A utilização pode ser na forma de substituição de temperos, como o óleo essencial de manjericão, por exemplo, e deve ser feita na comida morna ou fria, pois os óleos são muito sensíveis ao calor. Mas muito além da aromatização, o uso também influencia nas propriedades da comida, é o que afirma a chef: "Eu não penso apenas no aroma mais gostoso que eu vou adicionar, eu penso, porque eu já conheço o efeito terapêutico deles, em adicionar o seu poder terapêutico no alimento pra otimizar o efeito desse alimento no meu organismo". 

Podendo ser obtido das folhas, cascas, raízes e frutos de inúmeras plantas, a variedade de óleos é imensa e podemos encontrá-los para a compra em lojas de produtos naturais. Para o uso, principalmente na culinária, Sheila recomenda escolher marcas de melhor qualidade e para isso, basta observar a embalagem. Além de dentro da validade, o óleo essencial precisa estar armazenado em vidro escuro e conter diversas informações sobre a planta, como o nome popular, o científico, local e tipo de extração e principalmente a composição química: "Cada óleo tem, as vezes, centenas de substancias dentro dele. E eles são classificados em grupos químicos diferentes, tem óleos de um tipo, óleos de outro". 

Apesar dos benefícios do uso dos óleos essenciais na alimentação, a aromaterapeuta ressalta que é preciso ter cuidado nas dosagens e que a pessoa que for utilizá-los deve ter um conhecimento mínimo sobre eles: "Você não pode usar de qualquer maneira. Além de que, são substâncias, digamos assim, que tem que ter um certo cuidado porque são muito concentradas".

A chef é autora de livros sobre o assunto e tem um canal no youtube, onde disponibiliza algumas receitas com as dosagens e formas seguras de utilização. Você pode acessar o conteúdo aqui.  

 

Edição: Mauro Ramos