Coluna

Temer segue contemplando os departamentos comerciais de algumas mídias

Imagem de perfil do Colunista
O presidente golpista Michel Temer durante entrevista ao Programa Jornal Gente da Rádio Bandeirantes. / Alan Santos/PR
Qual foi o custo ao Erário Público com a votação favorável ao "honesto" Temer

Na manhã desta segunda-feira quem sintonizou a rádio Bandeirantes levou um susto. No lugar do programa Faixa Livre, um espaço de resistência ao esquema golpista atual e que vai ar no Rio, ouviu uma entrevista do gênero convescote com o lesa pátria Michel Temer, auxiliado pelos entrevistadores para dar o recado manipulador e mentiroso.

Foi uma longa entrevista em que Temer teve a vida facilitada para tentar enganar a opinião púbica, como tem feito ultimamente em canais de televisão e emissoras de rádio. O golpista que ocupa indevidamente o governo brasileiro defendeu a contra reforma da Previdência dizendo, ou seja, mentindo, por exemplo, que a proposta visa proteger os mais necessitados, quando acontece exatamente o contrário. E assim foi a tônica da entrevista que deve estar agradando os departamentos comerciais da emissora Bandeirantes e outras por aí.

Na fala enganadora de Temer chamou a atenção quando ele disse que não vai tolerar ser chamado de corrupto. Então, o que ele quer, que os analistas independentes o considerem honesto? Já imaginaram escrever o "presidente honesto Michel Temer"? Na verdade, todas as denúncias contra ele até agora não deram em nada porque contou com o apoio incondicional da honesta bancada aliada, que impediu duas vezes que fosse a julgamento na instância máxima da Justiça brasileira. Uma pergunta que deve ser sempre lembrada: qual foi o custo ao erário público com a votação favorável ao honesto Michel Temer?

As mentiras de Temer seguirão em outros canais midiáticos comerciais, porque o objetivo do lesa pátria agora é rigorosamente enganar os incautos, sempre com a colaboração de entrevistadores do gênero convescote, cujo projeto vem sendo defendido efusivamente desde o tempo do impeachment de Dilma Rousseff com o apoio total e absoluto do meliante Eduardo Cunha, que apesar de preso continua ditando regras, como se pode depreender com a nomeação de políticos que sempre o defenderam, como, por exemplo, o, (veja só!), ministro Carlos Marun.

O caso da entrevista de Temer na rádio Bandeirantes deve ser mencionado onde for possível, pois essa será a tônica daqui para frente nos mais diversos espaços midiáticos que defendem em gênero, número e grau tudo o que o atual governo vem fazendo em matéria de retrocesso nos mais diversos campos.

E tudo que questionar o esquema golpista lesa pátria será combatido pelos defensores do projeto que vem sendo executado e que, por mais que queiram dizer ao contrário os analistas de sempre, está levando o Brasil a um retrocesso sem tamanho. E o silêncio total sobre o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado informando que não há déficit na Previdência segue. Em vez de contestar o que foi concluído, editores sabujos preferem a omissão.

Para evitar maiores complicações, o Poder Judiciário está fazendo a sua parte, como aconteceu no recurso de Lula julgado no TRF4 em Porto Alegre. Mas o Brasil vai caminhando com a patota do honesto Michel Temer, que qualquer hora dessas ocupará provavelmente algum espaço da Globo para confirmar o seu recado objetivando enganar incautos E não será nenhuma surpresa se isso acontecer antes da data marcada para a votação na Câmara dos Deputados, em fevereiro, e depois no Senado. 

Cabe a quem não se deixa enganar por manipulações e mentiras proferidas pelo honesto Temer se mobilizar como forma de resistência. Não se pode aceitar passivamente tudo o que vem acontecendo atualmente neste país chamado Brasil.

Edição: Brasil De Fato RJ