Coluna

Retrato do momento atual que está atravessando o Brasil

Imagem de perfil do Colunista
Em vídeo Cristiane Brasil aparece em uma lancha e questionando as ações trabalhistas contra ela / Reprodução
O vídeo é retrato do grau de degradação a que chegou o país com a atual gestão

O vídeo em que a indicada para o Ministério do Trabalho, Cristiane Brasil, pelo “honesto” Michel Temer tenta se defender da acusação de transgredir a legislação trabalhista é realmente um retrato do grau de degradação a que chegou o país com a atual gestão governamental iniciada em agosto de 2016. Mais Temer não está nem aí para essas coisas e segue insistindo na nomeação da filha de Roberto Jeferson. 

A indicada para o posto aparece junto com amigos empresários menosprezando a Justiça do Trabalho, onde ela responde processo por não assinar o registro de dois motoristas na carteira de trabalho. Com isso ela demonstrou que, em um conflito entre capital e trabalho, segue as diretrizes do seu partido, o PTB, criado pelo Coronel Golbery do Couto e Silva, e sempre defenderá o capital. Só por isso seria uma figura suspeita para ocupar o posto por indicação do “honesto” presidente atual. E Cristiane Brasil se defende ao lado de amigos empresários. 

Ao mesmo tempo em que o vídeo circula nas redes sociais e confirma que tipo de parlamentares apoiam o “honesto” Temer, o juiz Marcelo Bretas aparece defendendo o direito de ter o auxílio moradia, junto com a esposa também juíza que mora na mesma residência, perfazendo um total superior a 8 mil reais.

Bretas, como se sabe, é o juiz que se diz combatente da corrupção, mas ao mesmo tempo se julga no direito de obter o auxílio moradia com a esposa juíza e é defendido por outros juízes que se consideram acima de qualquer suspeita. A maioria se acha e se sente tranquila fazendo o que se divulga, ou melhor, quando se divulga, claramente substituindo os militares de 1964.

Mas quem imagina que esse circo de horrores se encerra nas citações acima, engana-se. O “honesto” (e sempre lesa pátria) Michel Temer segue em seu périplo nos meios de comunicação com mentiras e manipulações relacionadas com a defesa da contrarreforma da Previdência. O presidente vai falado suas mentiras sobre a Previdência com a ajuda dos tais colunistas de sempre e de figuras como Silvio Santos, Ratinho, Amaury Júnior e outras do gênero. Ele acha que com isso conseguirá o apoio de deputados para a aprovação da contra reforma da Previdência e posteriormente no Senado.

Como se não bastasse esse jogo destinado a enganar a opinião pública, o “honesto” Michel Temer conta com o apoio incondicional do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que se esforça ao máximo pela aprovação. Chega ao ponto de o patético parlamentar dizer, sem nenhuma vergonha, que a matéria só será votada se o governo tiver a segurança que obterá os 308 votos necessários para a aprovação na Câmara. A etapa seguinte é no Senado.

Todos esses fatos só confirmam o retrato do Brasil atual sob a presidência do “honesto” Michel Temer, um político tradicional que jamais estaria ocupando o posto que ocupa se não fosse o que aconteceu nas votações na Câmara dos Deputados e Senado, em maio e agosto de 2016.

Um capítulo a parte naturalmente cabe aos espaços midiáticos comerciais, que seguem diariamente manipulando a informação e não aceitam nenhum tipo de contestação. Ou seja, qualquer tipo de crítica a esse jogo para convencer os incautos é considerado censura. Mas quando essa mesma mídia comercial omite informações que demonstram concretamente as mentiras diárias do “honesto” Michel Temer, não importa para os editores.

O pavor desses setores é tanto que segue o linchamento diário de políticos considerados figuras ameaçadoras ao projeto que vem sendo colocado em prática pelo “honesto”, mas sempre lesa pátria, Michel Temer.

Edição: Brasil de Fato RJ