Unipampa

Lula abre caravana com visita a universidade pública voltada a filhos de assentados

Unipampa é uma alternativa pública e gratuita para formação de filhos de assentados e agricultores familiares

Brasil de Fato | Bagé (RS)

,
A Unipampa tem 10 campi espalhados pelo Rio Grande do Sul, e foi criada com a perspectiva de oferecer educação pública e gratuita. / Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) desembarcou às dez horas da manhã desta segunda-feira (19) no aeroporto de Bagé, Sudoeste do Rio Grande do Sul, para iniciar uma caravana de 11 dias pelos três estados do sul. Com ele, estavam a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), os ex-governadores Olívio Dutra (PT) e Tarso Genro (PT), e lideranças de movimentos populares no interior gaúcho.

Esta é a quarta etapa do projeto "Lula pelo Brasil", que percorreu as regiões Nordeste e Sudeste do país, além de uma jornada específica pelo interior de Minas Gerais.

Legado

A primeira parada da etapa Sul da caravana foi no campus da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) em Bagé, inaugurada pelo próprio Lula em 2006.

A Unipampa tem 10 campi espalhados pelo Rio Grande do Sul, e foi criada com a perspectiva de oferecer educação pública, gratuita e de qualidade a filhos de assentados rurais e agricultores familiares. Antes dos anos 2000, segundo o ex-presidente, o ensino superior era privilégio dos descendentes de latifundiários.

"Nesse país, a elite nunca quis que o povo mais pobre tivesse acesso à educação", afirmou Lula durante a visita a universidade. "A maior prova disso é que todos os países vizinhos tiveram universidade no século 19, e nós só tivemos no século 20. A elite mandava seus filhos estudarem na Europa, e o povo pobre mal e porcamente terminava o segundo grau. Na cabeça deles, nós só servíamos para trabalhar", observou.

Para Diana Paula Salomão de Freitas, professora em Licenciatura na área de Educação, a Unipampa é uma realidade. "Tenho alunos de assentamentos, que antes não se reconheciam [enquanto população do campo]. Anos depois acabaram fazendo trabalhos de conclusão de curso valorizando a realidade de onde vinham", comenta.

Lula chegou ao campus às onze e meia e foi recebido por milhares de apoiadores. Em seguida, visitou um laboratório de energia recém-inaugurado.

A passagem do ex-presidente pela Unipampa foi mais breve que o planejado, devido à grande aglomeração de pessoas que disputavam uma "selfie" ou um abraço do petista.

Nara Oliveira é graduada e fez especialização no campus de Bagé. Hoje, ela é estudante de mestrado e valoriza o legado do ex-presidente: "Tenho 52 anos e faço parte de uma geração que um dia sonhou com uma universidade federal. Quando o então presidente Lula assinou o decreto de criação da Unipampa, isso aqui era só mato. É surreal. A importância dessa universidade é a possibilidade de formar seres emancipados, livres, que pensam por si sós".

A próxima parada da caravana será em Santana do Livramento, na tarde desta segunda-feira, para uma conversa pública com o ex-presidente uruguaio Pepe Mujica.

Edição: Luiz Felipe Albuquerque