Convivência

Vizinhos da Vigília Lula Livre apoiam resistência democrática em Curitiba 

Diversidade da vigília e enriquecedora e melhorou o bairro, diz um dos vizinhos da manifestação pró-Lula

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Militantes deixaram a vizinhança mais segura e a rua é varrida duas vezes por dia, coisa que não acontecia antes de 7 de abril / Joka Madruga/ Agência PT

O programa Democracia em Rede desta segunda-feira (28) teve como entrevistados dois vizinhos da Vigília Lula Livre que apoiam a mobilização em defesa do ex-presidente. A conversa evidenciou que, ao contrário do que mostra a mídia burguesa, a resistência democrática tem apoio entre os moradores do bairro Santa Candida, onde fica a sede  da Polícia Federal.

Sérgio Alves de Freitas e Filipe Hentges Nadolny concordam com a manifestação e saúdam que esteja acontecendo em sua vizinhança. "A presença da Vigília aqui é enriquecedora. Temos gente diferente, apresentações culturais, todo esse movimento melhora o bairro", avalia Sérgio Ubirata Alves de Freitas, que mora a 50 metros  da praça Olga Benário, o centro da Vigília Lula Livre.

O programa Democracia em Rede é transmitido ao vivo a partir da Casa da Democracia, coletivo de jornalistas que cobrem a vigília, diariamente às 14h. Trinta páginas de midiativistas reproduziram o bate-papo desta segunda-feira.

Filipe ressaltou a importância de moradores do Santa Candida que apoiam a Vigília manifestarem sua posição. "Temos que contrapor o discurso de ódio de parte da vizinhança, que não tem procuração para falar em nome de todos", diz.

Sérgio tem o mesmo ponto de vista sobre a tentativa de impor um falso discurso contrário à vigília. "Nos surpreendemos com algumas pessoas do bairro ocupando a mídia para falar em nome de todos. São 50 pessoas de 20 residências e foram desmascaradas por nós", comenta. 

A mobilização da militância democrática teve o efeito positivo de melhorar a segurança na vizinhança da Vigília, aponta Sérgio. "A região tinha muitos pequenos furtos a residências, que acabaram. A despeito disso, ainda tem gente que critica, mesmo tendo limpeza das ruas duas vezes por dia pelos militantes, o que não tínhamos antes", afirma. 

Filipe espera que a resistência democracia se intensifique daqui pra frente. "Desde que trouxeram Lula para o Santa Candida vimos que manifestações fascistas são pontuais. Agora o povo já sabe que Lula tem apoio aqui. Convocamos mais gente a vir para cá colaborar com a resistência", afirma.

 

Edição: Juca Guimarães