VIOLÊNCIA

Mães e familiares de vítimas do estado fazem manifestação em frente à Alerj

O ato aconteceu no fim da tarde desta segunda-feira (25)

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
O ato acontece depois do assassinato de Marcus Vinicius de 14 anos na semana passada na Maré / Gizele Martins

No início da noite desta segunda-feira (25), mães e familiares de vítimas da violência do estado se reuniram em um ato em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O ato começou por volta das 17h e os parentes assassinados em operações da Polícia Civil e Exército empunhavam cartazes que pediam o fim da criminalização das favelas e da pobreza. 

A manifestação foi chamada por Bruna da Silva, mãe de Marcos Vinícius, de 14 anos, morto na semana passada durante uma operação na Maré, zona norte do Rio. As mães e familiares pediam o fim das operações nas favelas com helicópteros atirando do ar e os blindados da polícia, chamados caveirões.

Dalva Corrêa perdeu seu filho na chacina do Borel há 20 anos e estava no ato. "Os nossos direitos são violados todos dias. Matam a gente todo dia. Pode ser a Marielle, pode ser quem for, que eles vão criminalizar. A favela não é violenta, ela é violentada, todo dia", ela participa da rede de comunidades e movimentos contra a violência, movimento popular que ajuda a dar assessoria à famílias nas comunidades cariocas.

Edição: Brasil de Fato RJ