substituição

Eliseu Padilha assume Ministério do Trabalho interinamente

Helton Yomura demitiu-se depois que foi afastado por decisão do ministro Edson Fachin, do STF

Brasil de Fato | Brasília (DF)

,

Ouça a matéria:

Desde 2016, é o primeiro nome para o Ministério do Trabalho não vinculado ao PTB / Foto: Geraldo Magela/ Ag. Senado

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (MDB), assumiu de forma interina o Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (6). A decisão do Planalto foi anunciada após Helton Yomura (PTB) pedir demissão do cargo na quinta-feira (5). A nomeação foi divulgada em edição extra do Diário Oficial. Desde 2016, é a primeira vez que o comando da pasta não é entregue ao PTB. 

A demissão de Yomura ocorreu no mesmo dia em que ele havia sido afastado do cargo pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, a pedido da Polícia Federal. O petebista foi alvo da operação Registro Espúrio, que investiga supostos casos de fraudes em concessões de registros de funcionamento de entidades sindicais.

Como o secretário-executivo da pasta, Leonardo Arantes, substituto natural de Yomura, foi alvo de um pedido de prisão temporária e se entregou à polícia no começo de junho, o Ministério ficou momentaneamente sem comando. 

Espúrios

O deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP) também foi alvo da Registro Espúrio na quinta-feira. A PF cumpriu mandado de busca e apreensão em seu gabinete. O parlamentar está em seu sexto mandato. É um dos maiores produtores de suco de laranja do país. Defendeu a flexibilização das leis trabalhistas e se tornou célebre durante a votação da PEC do Teto de Gastos, quando afirmou que “quem não tem dinheiro não faz universidade”. Um assessor de seu mandato foi preso durante a fase da operação. 

Desde que assumiu o governo, Michel Temer (MDB) vinha indicando nomes do PTB para o Ministério do Trabalho. Em dezembro de 2017, o então ministro, Ronaldo Nogueira, pediu demissão para se dedicar à campanha eleitoral. Helton Yomura foi escolhido após a nomeação da deputada Cristiane Brasil – filha do presidente nacional da sigla, Roberto Jefferson – ter tido sua nomeação barrada pela Justiça sob o argumento de que ela cometeu infrações trabalhistas. 

Yomura é advogado. Atuou na Procuradoria Municipal do Rio de Janeiro e na Secretaria de Transportes na gestão César Maia (DEM). Em 2009, se tornou assessor da Secretaria Especial do Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida do Rio de Janeiro, na gestão do governador Sérgio Cabral Filho (MDB). Em 2016, foi para a Diretoria Jurídica do  Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro, quando era governador Luiz Fernando Pezão, também do MDB. Em 2016, ingressou no Ministério do Trabalho. 

Leonardo Arantes, secretário executivo de Yomura, é sobrinho do deputado por Goiás Jovair Arantes, líder do PTB na Câmara e relator do processo de impeachment de Dilma Rousseff naquela casa.

Edição: Diego Sartorato