Flamengo na LIbertadores

PAPO ESPORTIVO | Apesar de tudo, o Flamengo caiu de pé

Flamengo mostra muita fibra, mas não consegue reverter a derrota em casa e está eliminado da Libertadores

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Flamengo lutou, mas não levou / Gilvan de Souza / flamengo.com.br

Todo mundo sabe que a Copa Libertadores da América é uma competição em que qualquer erro é absolutamente fatal. Ainda mais nas fases de mata-mata. O Flamengo sabia que teria uma missão bem complicada nessa quarta-feira (29). O time teria que reverter a derrota de 2 a 0 sofrida no Maracanã, dentro de casa, pelo Cruzeiro. A vitória até veio, mas o placar mínimo não foi suficiente para manter o sonho rubro-negro vivo. No entanto, apesar de tudo, o Fla caiu de pé.

Caiu de pé porque mostrou muita fibra, muita disposição e muita vontade dentro de campo. Talvez se tivesse jogado da mesma maneira em, pelo menos, metade do jogo de ida, as coisas poderiam ter sido um pouco diferentes. Ou se o Flamengo tivesse jogado de outra maneira na fase de grupos. Ou se a diretoria fosse mais responsável e tivesse reforçado as laterais do time. Mas como o “se” não joga, o "Mais Querido do Brasil" vai ter que esperar mais um pouco para concretizar o sonho do bi.

A grande verdade, amigos, é que o Flamengo não foi eliminado nessa quarta-feira (29). A eliminação veio no jogo disputado no Maracanã. Mesmo assim, este que escreve acredita piamente que não existe um único torcedor rubro-negro chateado com a atuação do time. Léo Duarte (autor do único gol da partida), Éverton Ribeiro, Renê e Réver estiveram muito bem. E o que dizer de Diego Alves? Uma defesa absurda e muita liderança dentro de campo. Pena que a classificação não veio. O Cruzeiro valorizou muito a partida, mostrou a qualidade que eu e você já conhecemos e vai seguir na Libertadores. 

Ficam as lições para o restante da temporada. O Fla, apesar dos erros, caiu de pé. A torcida rubro-negra só espera que o time não decepcione no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil, competições em que o time ainda tem chances de título. O que ela quer ver é fibra, garra e bom futebol. Tudo o que ela viu no Mineirão e que ficou faltando na campanha do Flamengo na Libertadores da América.

Valentim já sabe que vai ter trabalho no Vasco

Alberto Valentim é bom técnico, entende do riscado, mas não é São Januário pra fazer milagre. O novo técnico do Vasco vai ter muito trabalho para acertar o time. E a prova disso é a derrota para o Atlético-PR na Arena da Baixada. A defesa segue vacilando (embora tenha melhorado um pouco nas últimas partidas), o ataque sentiu muito a ausência de Maxi López e o meio-campo não criou quase nada. É bem verdade que Valentim errou a mão na escalação, mas é difícil cobrar qualquer coisa logo no seu primeiro jogo como comandante do Vasco. Certo é que a equipe precisa melhorar muito se quiser fugir da briga contra o rebaixamento e almejar voos mais altos no Campeonato Brasileiro. Até por que a torcida não aguenta mais sofrimento todo ano.

Lesão de Pedro é problema grave para o Fluminense

Que o atacante Pedro é um dos melhores em atividade no Brasil isso todo mundo sabe. Que ele é o principal jogador do Fluminense na temporada também. Mas é exatamente por isso que a sua lesão pode ser um problema gravíssimo para Marcelo Oliveira. O comandante do Tricolor das Laranjeiras não possui outro jogador com as suas características e a sua qualidade no elenco. Kayke até pode “quebrar um galho” em algumas partidas. Mas não será a mesma coisa. Não é por acaso que Pedro despertou o interesse de clubes europeus e também chamou a atenção de Tite. O técnico Marcelo Oliveira sabe que o Fluminense perde muito sem o seu camisa nove em campo. E o adversário do final de semana é logo o São Paulo. Xiiiii…

Botafogo já conhece o caminho das pedras

A vitória sobre o Sport Recife no último sábado (25) não foi a atuação que a torcida esperava. Mas os três pontos foram muito bem vindos para as pretensões do Botafogo no Campeonato Brasileiro. Embora os resultados das partidas de quarta-feira (29) não tenham sido os melhores (o Bahia ultrapassou o Glorioso na tabela e o Atlético-PR está mais próximo), os comandados de Zé Ricardo mostraram muita disposição e muita vontade em campo. Falta é mais qualidade no meio e mais concentração da defesa (ainda que Joel Carli e Igor Rabello venham dando conta do recado). O ponto mais fraco do Botafogo segue sendo o ataque. Nem Aguirre, nem Kieza e nem Brenner inspiram lá muita confiança. E isso pode ser um problema mais grave do que muita gente pensa.

Edição: Jaqueline Deister