FUTEBOL

Maior campeonato amador do Brasil acontece na Bahia

Esta é a 63° edição do Intermunicipal, que é conhecido por revelar grandes atletas do futebol brasileiro

Brasil de Fato | Salvador (BA)

,
Atual campeã do torneio, a seleção de Eunápolis vai em busca do bi. / Carlos Santana/FBF

A bola está rolando no maior campeonato amador do Brasil. O Campeonato Intermunicipal de Futebol Amador chega a sua 63ª edição com 63 equipes em busca do título. Anteriormente chamado de Torneio Intermunicipal de Futebol Amador, o campeonato foi disputado pela primeira vez em 1946, quando a seleção de Ilhéus conquistou o primeiro de seus quatro títulos na competição. No ano seguinte, a seleção de Santo Amaro sagrou-se campeã e, após esta edição, o torneio enfrentou nove anos de hiato, só voltando a ser disputada em 1957, quando Santo Amaro voltou a conquistar o certame.

Para a atual edição, 64 municípios inscreveram suas seleções e foram divididos em 16 grupos regionalizados de quatro equipes cada. Porém, a seleção de Senhor do Bonfim desistiu de participar do torneio, já que o estádio da cidade, o Municipal Pedro Amorim, passa por reformas e não ficou pronto a tempo da disputa. Sendo assim, a Federação Bahiana de Futebol (FBF) decretou que as equipes que atuariam contra Senhor do Bonfim, no Grupo 2, seriam declaradas vencedoras pelo placar de 1 a 0.

Na primeira fase, as seleções jogam entre si em partidas de ida e volta e passam as três melhores seleções de cada grupo. A partir da segunda fase, o certame assume formato de mata-mata, com os confrontos sendo decididos em partidas de ida e volta, sendo que as seleções com a melhor campanha jogam a segunda partida em casa. Na segunda fase, se classificam as seleções vencedoras dos 24 confrontos e as oito seleções eliminadas de melhor campanha. A partir da terceira fase, passam as seleções vencedoras de cada confronto, sendo assim até a final.

As maiores vencedoras do Intermunicipal são as cidades de Itabuna e Cachoeira, com oito conquistas cada. A seleção do Sul do estado, dona da maior sequência de títulos do campeonato – oito títulos, entre 1958 e 1965 –, sagrou-se campeã pela última vez em 1965, enquanto a seleção do Recôncavo foi campeã pela última vez em 2014. Logo atrás delas, estão as seleções de Santo Amaro, com cinco conquistas, e Ilhéus e Conceição do Coité, com quatro cada. A atual campeã é a seleção de Eunápolis, que conquistou, em 2017, seu primeiro título, em cima da seleção de Euclides da Cunha, que coleciona três vice-campeonatos. Ambas as seleções chegam como algumas das favoritas ao título.

Celeiro de craques

O Intermunicipal é conhecido por revelar grandes atletas do futebol brasileiro e, cada vez que uma nova edição se inicia, a expectativa é grande sobre quem será a grande revelação. O torneio, em suas edições passadas, já revelou nomes como Bobô (Senhor do Bonfim, 1983-84), campeão brasileiro com o Bahia, em 1988, Júnior Baiano (Poções, 1987), vice-campeão mundial com a Seleção Brasileira, em 1998, Edílson (Castro Alves, 1988-89) e Júnior Nagata (Santo Antônio de Jesus, 1993), campeões mundiais com a Seleção Brasileira, em 2002, Liédson (Valença, 1991-93), campeão da Copa Libertadores com o Corinthians, em 2012, e Neto Berola (Buerarema, 2008), campeão da Copa Libertadores com o Atlético Mineiro, em 2013.

Transmissão

Como vem acontecendo desde 2016, o torneio é transmitido pela TVE (Canal 10.1). A emissora transmite um jogo por rodada. As transmissões acontecem aos domingos, às 15h.

Edição: Elen Carvalho