Eleições 2018

Sônia Coelho: “A gente luta para que tenha mais mulheres no Congresso”

Em entrevista à Rádio Brasil de Fato, integrante da Marcha Mundial de Mulheres fala sobre a expectativa para as eleições

Brasil de Fato | São Paulo

,
Sônia Coelho, militante da Marcha Mundial de Mulheres e da organização feminista Sempre Viva / Arquivo pessoal

As mulheres têm sido o foco dos discursos eleitorais nesse ano. Não à toa, já que a população feminina representa 52% do eleitorado brasileiro. Mesmo assim, a representatividade feminina está bem longe de chegar a um patamar de igualdade com os homens. No Congresso, pouco mais de 10% dos cargos são ocupados por mulheres. 

Para Sônia Coelho, integrante da Marcha Mundial das Mulheres e da Organização Sempre Viva, preciso ampliar o nível de representação mas, mais que isso, de mulheres comprometidas com a pauta feminista. “A gente luta para que tenha mais mulheres no Congresso, mas que sejam comprometidas com o feminismo, com a causa da classe trabalhadora”.

Segundo Coelho, uma das demandas urgentes das mulheres brasileiras é o cuidado com a primeira infância, permitindo assim que as mães possam disputar seu espaço no mercado de trabalho. “A questão da creche é algo fundamental para as mulheres. Todos os estudos indicam que, uma mulher pobre, que consegue ter o filho na creche, ela consegue ter menos rodízio no trabalho, ela consegue permanecer mais tempo no emprego, ela consegue ter um salário melhor. A criança que, desde cedo, vai para creche, depois vai para o ensino infantil se torna um adolescente com melhores condições de permanecer na escola”.

Neste sábado, mulheres voltaram a protestar pelo país contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), que já se posicionou contrário às políticas de gênero, defendidas pelo movimento feminista. 

Edição: Diego Sartorato