ELEIÇÕES

Paraíba elege governador no primeiro turno e renova parte do parlamento

O resultado do pleito de 2018 demonstrou força e crescimento do PSB no estado

Brasil de Fato | João Pessoa (PB)

,
A Paraíba elegeu seu governador no primeiro turno das eleições, o que demonstrou a força do PSB e do atual governador Ricardo Coutinho. / Divulgação

O candidato eleito, João Azevêdo (PSB), conseguiu absorver o capital político do atual governador Ricardo Coutinho (PSB) e obteve 58,18% dos votos válidos, deixando para trás seus adversários Lucélio Cartaxo (PV) com 23,41% dos votos, seguido por Zé Maranhão (MDB), 17,44%, Tárcio Teixeira (PSOL), 0,81% e Rama Dantas (PSTU), 0,16%. Para além desse feito, o atual governador da Paraíba conseguiu eleger um grande número de deputados estaduais e federais e ainda um senador de seu partido, Veneziano Vital do Rêgo. A vitória de Azevêdo marca a força política de Ricardo Coutinho na Paraíba, que desde 1998 não elege um governador em primeiro turno, além disso, foi a primeira vez que João Azevêdo disputou um cargo eletivo, e mesmo assim conseguiu ser eleito com a expressiva votação de mais de 1 milhão e 100 mil de votos. 

João Azevêdo conseguiu se eleger pela coligação A força do trabalho, composta pelos partidos PSB, PDT, PT, DEM, PTB, PRP, PODE, PRB, PC do B, AVANTE, PPS, REDE, PMN e PROS.

Outra façanha do povo paraibano, neste pleito, foi ter conseguido derrotar o atual senador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB). Ricardo Coutinho, durante a campanha para senadores, apoiou os nomes de Veneziano Vital do Rêgo (PSB) e de Luiz Couto (PT). Veneziano obteve 24,63% e Daniella 24,25% dos votos válidos. Luiz Couto teve 23,1%; Cássio Cunha Lima, 17,5%. Cássio era um velho conhecido da política paraibana. Tem no currículo a cassação enquanto governador em 2009, foi um dos articuladores do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, apareceu na lista da Odebrecht, onde teria recebido cerca de R$ 800 mil em propina. Ficou bastante conhecido por ter atirado da janela do Edifício Concorde cerca de R$ 350 mil para compra de votos. Herdou a carreira política do pai, o ex- governador Ronaldo Cunha Lima. Cássio apoiou o governo de Temer e agora foi derrotado nas urnas.

“Fazer política, no nosso entender, é assim chegar em cada canto, chegar mais próximo possível da população e fazer com que a população sinta-se partícipe do processo e foi isso que esse projeto fez”, declarou João Azevêdo, durante entrevista coletiva após a vitória.

As coligações que se agruparam em torno de João Azevêdo elegeram 18 deputados estaduais e 6 deputados federais, tendo inclusive as candidaturas para estadual e federal mais votadas, respectivamente, Cida Ramos (PSB) e Gervásio Maia (PSB).

“Fizemos uma bancada histórica aqui dentro do estado na Assembleia Legislativa, dando sustentação a João Azevêdo, fazendo metade das vagas na Câmara Federal e elegendo Veneziano como senador”, frisou o atual governador Ricardo Coutinho.

Bancada Paraibana

Foram eleitos 12 deputados federais, são eles: Gervásio Maia (PSB), Aguinaldo Ribeiro (PP), Wellington Roberto (PP), Dr. Damião (PDT), Hugo Mota (PRB), Frei Anastácio (PT), Wilson Santiago (PTB),  Pedro Cunha Lima (PSDB), Efraim Filho (DEM), Julian Lemos (PSL), Edna Henrique (PSDB), Ruy Carneiro (PSDB). Deixam a bancada federal da Paraíba seis deputados: Veneziano (PSB) - eleito senador pelo estado; Manoel Júnior (PSC); Wilson Filho (PTB), - que se elegeu deputado estadual, Marcondes Gadelha (PSC); Luiz Couto (PT) - que tentou vaga de senador, mas não conseguiu; e Benjamin Maranhão (MDB) - que também não conseguiu se reeleger.

Dos 36 deputados estaduais eleitos, 14 são novos: Cida Ramos (PSB), Wallber Virgolino (Patriota), Drª Paula (PP), Anderson Monteiro (PSC), Dr Tarciano Diniz (Avante), Junior Araújo (Avante), Cabo Gilberto Silva (PSL), Moacir Rodrigues (PSL), Eduardo Carneiro (PRTB), Chió (Rede), Dr. Érico (PPS), Felipe Leitão (Patriota), Pollyana Dutra (PSB) e Hervázio Bezerra (PSB).

E 22 foram reeleitos: Adriano Galdino (PSB), Ricardo Barbosa (PSB), Estela Bezerra (PSB), Doda de Tião (PTB),  Manoel Ludgério (PSD), João Gonçalves (PODE), João Henrique (PSDB), Edmilson Soares (PODE), Nabor (PRB), Branco Mendes (PODE), Wilson Filho (PTB), Jeová (PSB), Inácio Falcão (PC do B), Camila Toscano (PSDB), Buba Germano (PSB), Tião Gomes (AVANTE), Caio Roberto (PR), Genival Matias (AVANTE), Galego de Souza (PP), Tovar (PSDB), Raniery Paulino (MDB), Bosco Carneiro (PPS). Agora serão cinco mulheres no parlamento estadual paraibano, atualmente são três.

O resultado das eleições na Paraíba demonstram o caminho do governo em consonância com o desejo do povo paraibano, já que o governador Ricardo Coutinho sempre se colocou contra o golpe, iniciado com o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, e contra o governo de Temer, e agora já se posicionou na construção da Frente Ampla Democrática e na disposição militante para eleger o candidato a presidente do Brasil, Fernando Haddad (PT).

 

Edição: Cida Alves