Minas Gerais

Hardcore, samba, teatro e músicos impulsionam campanha pró-Haddad em BH

Aumenta o número de grupos culturais envolvidos na luta contra o fascismo

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
Quinta (25), sexta (26) e sábado (27) já tem eventos programados / Foto: Mídia Ninja

A capital mineira vive uma efervescência político-cultural. O segundo turno das eleições presidenciais, entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), agitou os ânimos de quem trabalha com arte e cultura, e a semana tem sido das mais variadas atividades e pronunciamentos. Quinta (25), sexta (26) e sábado (27) já tem eventos programados.

Nesta quinta (25), os sambistas organizam uma Roda de Samba em Defesa da Democracia na Praça Sete, centro da cidade, a partir das 16h. O manifesto dos organizadores afirma que o samba foi durante muito tempo proibido pela “Lei da Vadiagem” e foram as minorias – os negros, os pobres, os moradores de periferia – que guardaram-no no fundo dos seus quintais, para que sobrevivesse. “Respeitamos as quatro cores da nossa bandeira, mas não votamos em quem não respeita as muitas cores do nosso povo”, dizem.

Hoje (25) acontece também o Fotógrafxs pela Liberdade! BH, organizado pelo Jornalistas Livres, Erro 99 e Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos de Minas Gerais (ARFOC). No local, acontece um debate sobre o momento político e uma projeção coletiva de fotos dos participantes. “Só na democracia podemos fazer justiça e denúncias utilizando nossa melhor arma: o nosso olhar!”, afirmam. Eles convidam os fotógrafos a assinarem o manifesto “Fotografia Contra a Barbárie”, iniciado em São Paulo.

O Armazém do Campo, a loja do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em BH, organiza um ato cultural de alegria e resistência. Na sexta (26) acontece o tradicional Cultura na Sexta, desta vez com o tema “Não Passarão”. A partir das 18h, na avenida Augusto de Lima, 2136. Na sexta acontece também o Cinema pela Democracia, em sua terceira edição já durante a campanha eleitoral. Serão exibidos cinco filmes curtas-metragens, a partir das 18h, Avenida Brasil, 41.

Em outra esfera cultural, as bandas de Hardcore estão se pronunciando e se movimentando. “A pessoa sabe que será seu fim, mas a desesperança é tanta que isso já pouco importa”, defendem na descrição do evento Hardcore/Punk Contra o Fascismo, fazendo uma metáfora entre o uso de crack e o voto em Jair Bolsonaro. O ato será no dia 27 de outubro, a partir das 16h, no Café Bier (av. do Contorno, 3379, Santa Efigênia). Sete bandas já estão confirmadas.

Vídeo de 60 artistas mineiros

Divulgado nessa semana um vídeo de 60 cantores e músicos mineiros interpretando a música “Credo”, de Milton Nascimento e Fernando Brant. “Tenha fé em nosso povo que ele resiste”, cantaram o ator Daniel de Oliveira, a atriz Sophie Charlotte e cantores como Djonga, Ceumar, Sergio Santos, Mariana Nunes, Maurício Tizumba e Rafael Dutra.

O Galpão Cine Horto, centro cultural do Grupo de teatro Galpão, também se posicionou publicamente a favor do voto em Haddad. “Vamos usar nossas vozes e votos para a virada. Dia 28 vamos impedir o grave retrocesso votando em Haddad e Anastasia. Não há outra alternativa”, escrevem no manifesto.



 

Edição: Joana Tavares