Acessibilidade

Futebol além do olhar

Projeto social do ex-jogador pentacampeão do mundo Ricardinho incentiva portadores de deficiência visual no futebol

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
A equipe de futebol de cinco criada no final de 2018, hoje conta com atletas experientes e alguns marinheiros de primeira viagem. / Divulgação

O esporte mais famoso e popular do mundo, jogado com os pés, não precisa dos olhos para quem quer praticá-lo. Adaptado do futsal, o futebol de cinco é uma prova de que a visão pode ser driblada por quem joga. Exclusivo para portadores de deficiência visual, as partidas normalmente são em uma quadra de futsal adaptada. E desde os Jogos Paralímpicos de Atenas também têm sido praticadas em campos de grama sintética. Em Curitiba, o projeto Maestro da Bola, fundado e gerenciado pelo ex-jogador Ricardinho, busca incentivar portadores de deficiências visuais na prática do esporte. A equipe mescla jogadores estreantes com atletas da seleção brasileira.

Maestro da bola

Criada em Agosto de 2017, a Associação Maestro da Bola atende atualmente a crianças de baixa renda e também atletas paralímpicos. A equipe de futebol de cinco criada no final de 2018, hoje conta com atletas experientes e alguns marinheiros de primeira viagem.

É o caso do cronista esportivo Henry Xavier, 37 aos. Acostumado com as cabines de rádio, mas sempre imerso no mundo do futebol, Henry entrou na equipe em novembro do ano passado a convite do próprio Ricardinho. ''Na verdade comecei a jogar futebol de cinco com 19 anos, parei aos 21. Agora, resolvi voltar após um convite'', conta Henry. A equipe atualmente disputa o torneio paranaense de futebol de cinco e busca vaga na série B do Campeonato Brasileiro da categoria.

O time hoje conta com o central Emerson, que já ganhou medalha de ouro em 2012, pela Seleção Brasileira, nos Jogos Paralímpicos de Londres, e também com atletas com passagem pela seleção, como o jogador Edvan. Apesar de a equipe disputar torneios profissionais, Ricardinho garante que o que mais deixa satisfeito é a superação dos atletas. ''Mais importante que ganhar, é a diversão, é ver eles dominarem a bola, jogarem, chutarem. É um momento especial'', afirma o pentacampeão. Os treinos da equipe sempre ocorrem nas segundas e quartas, na Praça Oswaldo Cruz, às 17h30.  

Edição: Laís Melo