PAPO ESPORTIVO | Por que o Flamengo deve calçar as sandálias da humildade

Imagem de perfil do Podcast
Papo Esportivo

Ouça o áudio:

Flamengo já sofreu viradas incríveis ao longo da sua história / Alexandre Vidal / Flamengo
O excesso de confiança, o "já ganhou" e a soberba já prejudicaram o Flamengo

O Flamengo abriu uma grande vantagem na decisão do Campeonato Carioca ao vencer o Vasco com autoridade no último final de semana por 2 a 0, no Estádio Nilton Santos. Bom, quem viu o jogo, viu que o Fla apresentou um futebol bastante vistoso, principalmente no segundo tempo, quando Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol mostraram toda a sua qualidade dentro de campo. Some a boa atuação do Fla com a péssima tarde dos comandados de Alberto Valentim e você terá torcedores ansiosos e bastante confiantes com a partida de volta a ser realizada no próximo domingo (21), feriado da Páscoa.

É exatamente por isso que esses próximos 90 minutos são extremamente perigosos para a equipe comandada por Abel Braga. O histórico fala por si só.

Em 2008, depois de vencer o América do México por 4 a 2 na casa do adversário, o Flamengo foi eliminado da Copa Libertadores de maneira vexatória dentro do Maracanã (com uma atuação histórica de Cabañas) logo depois de conquistar o título carioca em cima do Botafogo. Nunca a canção “Soy loco por ti America” tocou tanto nas rádios brasileiras depois desse dia.

O próprio Abel Braga já sentiu esse gosto amargo do “oba-oba”. O Flamengo chegou à final da Copa do Brasil de 2004 e encarou o Santo André na decisão. No jogo de ida, empate em 2 a 2 no Parque Antártica. No jogo de volta (mais uma vez no Maracanã), a realidade acertou um soco no estômago dos rubro-negros: derrota por 2 a 0 com direito a gol de Elvis e uma série de piadas infames repetidas até hoje.

Duas derrotas dolorosas causadas pelo excesso de “oba-oba” antes de partidas importantes. O excesso de confiança, o “já ganhou”, a soberba e a arrogância já prejudicaram o Flamengo em vários momentos da sua gloriosa e vitoriosa história. Mais recentemente, podemos lembrar a eliminação na Libertadores de 2012 (com Léo Moura vendo o Emelec vencer o Olimpia no caminho para os vestiários) e na Copa do Brasil de 2014 diante do Atlético-MG com direito a locutor dizendo que o Galo não conseguiria superar o Fla após Éverton abrir o placar no Mineirão. Sim, amigo. Teve de tudo.

O Flamengo tem um dos elencos mais qualificados do país e tem tudo para sair do Maracanã com o título estadual de 2019. A vantagem para o Vasco (que sofre com problemas extracampo) é muito grande. Mas Abel Braga e companhia devem olhar para a própria história e entrar em campo calçando as chuteiras e as sandálias da humildade. Ainda mais quando o próprio Vasco já protagonizou verdadeiros milagres. Lembram da “virada do século” na final da Copa Mercosul de 2000? Pois é…

Um antigo repórter de rádio costumava dizer que “todo ‘oba-oba’ termina em ‘epa-epa’”. Todo cuidado é pouco. Não há nada resolvido e o velho e rude esporte bretão adora nos pregar peças. Depois não me venham reclamar da sorte.

CURTINHAS

O Botafogo aposta em Eduardo Barroca para tentar sair da crise. O novo treinador fez excelente trabalho na base e saca muito do riscado. Mas o grande problema está no elenco. Como conquistar títulos sem um elenco de qualidade?

E enquanto o Fluminense não teve problemas para vencer o Santa Cruz (pela quarta fase da Copa do Brasil), o Vasco voltou a jogar mal. O Trem Bala da Colina foi presa fácil para o Santos de Jorge Sampaoli e só não levou uma goleada por mero capricho dos deuses da bola. E a batata de Alberto Valentim está quase queimada de tão assada.

Grande abraço e até a próxima!

Edição: Brasil de Fato (RJ)