Retomada do olfato

Você conhece a Terapia de Cheiros? Saiba mais no programa Bem Viver

O método é científico, deve seguir orientação médica, e serve para recuperação de sintomas da covid-19

Ouça o áudio:

Ainda não se sabe se os sintomas de perda de olfato por conta da covid-19 pode ser permanente
Ainda não se sabe se os sintomas de perda de olfato por conta da covid-19 pode ser permanente - Foto: Agência Brasil
Um dos sintomas persistentes mais comum é a perda do olfato

A comunidade científica está descobrindo as relações do novo coronavírus no organismo humano. Por exemplo, ainda não há definição concluída sobre possíveis sequelas da doença em pessoas recuperadas. Ao mesmo tempo, já se sabe que alguns sintomas, por exemplo, podem persistir entre quem teve o caso grave ou leve da covid-19.  

:: Plano de vacinação “copiado” da Europa ignora desigualdade brasileira, critica médico ::

Os relatos de quem se recuperou abrangem complicações nos pulmão, coração, rins, intestino, cérebro e sistema vascular. Um dos sintomas persistentes mais comum é a perda do olfato. Por outro lado, a ciência está encontrando formas de ajudar nessa recuperação. Ou seja, não necessariamente se trata de algo definitivo.

:: Fiocruz e Butantan sairão maiores que a mediocridade de governantes, diz sanitarista ::

Um dos exemplos de reabilitação para sitomas pós covid-19 é a Terapia dos Cheiros, um método científico que ajuda a estimular a retomada do olfato. Sobre o assunto, a edição entrevistou a fisioterapeuta Beatriz Leite. 

Direito à terra e biodiversidade 

Nos primeiros minutos, a edição destaca as ligações entre o direito à terra e a preservação da biodiversidade. A Reforma Agrária Popular entrou em pauta com o acompanhamento de um manifesto conjunto de 48 organizações sociais e sindicais e parlamentares do Distrito Federal (DF). A mobilização pediu, nesta quarta-feira (13), que sejam adotadas medidas para uma reformulação do Programa de Assentamentos de Trabalhadores Rurais (Prat) do DF. 

:: Pandemia expõe problemas da sociedade que reforma agrária deu soluções há décadas ::

“São pontos necessários pra que se inicie não só uma reformulação do plano, mas para conduzir o debate político pra criação de uma política de reforma agrária aqui. Já que se abriu essa perspectiva da regularização da terra no DF, nós queremos melhorar o programa e fazer com que de fato ele funcione”, afirma Marco Baratto, da direção local do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST-DF).

O Bem Viver também conversou com Márcio Astrini, secretário executivo do Observatório do Clima, sobre os alertas de desmatamento no Brasil nos últimos dois anos. 

:: Desmatamento da Amazônia em abril de 2020 é o maior em dez anos ::

Dados publicados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), na última sexta-feira (8), revelam que mais de 8 mil quilômetros quadrados foram desmatados no país durante o ano de 2020. Somente em dezembro, foram mais de 216 quilômetros devastados - um aumento de 14% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

:: “O semiárido também sofre com o desequilíbrio na Amazônia”, alerta coordenador da ASA ::

“O governo deveria apresentar a solução. Só que, nesse momento, o governo é o principal foco do problema e essa é a nossa grande preocupação porque ele tem instrumentos, orçamento, tem política, consegue modificar decretos e tudo isso, todas essas armas de governo, nesse momento, são utilizadas para incentivar quem derruba a floresta”, critica o diretor do Observatório do Clima.

Tecnologia e redes sociais

Muita gente está assustada com a nova política compartilhamento de dados do aplicativo WhatsApp. A partir de 8 de fevereiro, os usuários do WhatsApp vão ter que aceitar que suas informações no aplicativo sejam compartilhadas com empresas ligadas ao Facebook.

:: No Radinho BdF, crianças falam sobre a sua relação com as telas ::

O programa detalha que, especificamente, a troca entre WhatsApp e Facebook vai detalhar número de telefone, modelo de celular, horário e período em que o usuário está online, localização e outras informações. 

Por outro lado, a edição também conta com a participação do psiquiatra Cristiano Nabuco, coordenador do Laboratório de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. A entrevista foi concedida ao jornalista Kainã de Oliveira, da Rádio USP.

  
Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: SpotifyGoogle PodcastsItunesPocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Daniel Lamir