Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Moradores e comerciantes protestam contra projeto Nova Luz

Principal crítica refere-se à concessão urbanística, que delega a uma empresa concessionária o poder de desapropriar imóveis











Foto: Aline Scarso



Da redação

Região do bairro da Luz, em São Paulo, área que deverá

ser reurbanizada pelo projeto Nova Luz - Foto: Aline Scarso

Moradores e comerciantes dos bairros Luz e Santa Ifigênia, em São Paulo, realizarão um protesto nesta sexta-feira (24) contra o projeto Nova Luz, que pretende reurbanizar a região.

A concentração para o protesto, que também terá participação de movimentos sociais, ocorrerá na esquina das ruas Santa Ifigênia e Vitória. Além do ato público, os lojistas fecharão suas lojas a partir das 14h.

Durante a manifestação, os candidatos à Prefeitura de São Paulo serão convidados a assinar um termo de compromisso de revisão do projeto Nova Luz, que garanta participação popular, sem desapropriações.

O projeto Nova Luz prevê a reforma de 45 quarteirões e duas praças do centro da cidade entre as avenidas Ipiranga, São João, Duque de Caxias, rua Mauá e avenida Cásper Líbero – o que corresponde a cerca de 500 mil metros quadrados.

A requalificação da área é reivindicação antiga de moradores e comerciantes. Entretanto, eles rechaçam o projeto proposto pelo Executivo. O principal motivo é a Lei de Concessão Urbanística, que delega a uma empresa concessionária, escolhida por meio de licitação, a execução do projeto. Entre os poderes ganhos pelo concessionário está a desapropriação de imóveis, que poderão ser revendidos depois.

Eles também reclamam de falta de participação na elaboração do projeto e da inexistência de políticas de saúde para os dependentes químicos que vivem na região.

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas da Santa Ifigênia (CDL), o projeto prejudicará mais de 50 mil trabalhadores, 15 mil empresas e 12 mil moradores.