Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

“PSDB vai bater em Dilma”

Nas últimas semanas, Aécio Neves, o cambaleante presidenciável do PSDB, tem concentrado suas críticas aos rumos econômicos do país








Altamiro Borges

Saiu na coluna Radar de Lauro Jardim, no sítio da revista Veja: “A cúpula do PSDB vai deixar um pouco Lula de lado e centrar fogo em Dilma Rousseff. Não vai mais poupá-la. Com o olho voltado para 2014, quer botar as mazelas do Brasil na conta dela o quanto antes”.

O colunista da Veja é bem familiarizado no ninho tucano e também detesta o chamado “lulopetismo” – como quase todos os jornalistas amestrados da famigllia Civita. A notinha, apesar de não revelar as fontes, indica uma mudança de postura da direita nativa. No show midiático do julgamento do “mensalão”, ela desgastou ao máximo importantes lideranças petistas. Agora, com o badalado “Caso Rosemary”, a direita investe com toda a fúria contra o ex-presidente Lula. O ataque é raivoso, quase doentio!

Não há nada de nobre nesta ofensiva udenista, liderada por figuras mais sujas do que pau de galinheiro. O discurso “ético” visa apenas desgastar o atual governo e preparar o cenário para a sucessão presidencial de 2014. Daí a nova orientação do PSDB, segundo um de seus prestigiados porta-vozes na mídia. O trabalho sujo contra Lula continuará nas páginas das revistonas, jornalões e concessionárias públicas de televisão. Já a direita partidária concentrará mais suas atenções na presidenta, forte candidata à reeleição em 2014.

A mudança de foco já é perceptível. Nas últimas semanas, Aécio Neves, o cambaleante presidenciável do PSDB, tem concentrado suas críticas aos rumos econômicos do país. Neste sentido, ele não esconde a sua alegria com o baixo crescimento do país – o chamado “pibinho” – e prega o retorno de velhos dogmas neoliberais, como privatizações, a redução da carga tributária para os ricaços e a demissão de servidores públicos. Recentemente, o senador mineiro defendeu a flexibilização das leis trabalhistas, atacando a CLT.

A batalha de 2014 já está em curso. Não haverá paz ou civilidade no próximo período. Infelizmente, ainda tem muita gente no Palácio do Planalto que não percebe a radicalização da luta política e segue com a sua visão tecnocrática. Acovardada, esta turma fica na defensiva e é pautada pela própria mídia oposicionista. Ela inclusive continua alimentando as cobras, com fartos recursos em publicidade oficial. Quando perceber a manobra da direita partidária e midiática já poderá ser tarde!

Artigo originalmente publicado na edição impressa 510 do Brasil de Fato