Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Famílias são despejadas da Vila Itororó

20/02/2013











Foto: Milene Valentir



Patrícia Benvenuti,

Da reportagem

As famílias remanescentes da Vila Itororó, no centro de São Paulo, estão sendo despejados na manhã desta quarta-feira (20).

Acompanhados de policiais militares, oficiais de Justiça foram à Vila às 6h30min cumprir o mandado de reintegração de posse. Todo o quarteirão está cercado por PMs.

As oito famílias retiradas da Vila estão sendo despejadas sem atendimento habitacional. Isso porque a bolsa-aluguel prometida pela Prefeitura, no valor de R$ 300, será repassada aos moradores apenas em 28 de fevereiro.

Segundo a moradora Antonia Candido, um acordo realizado em dezembro garantia que as famílias poderiam ficar na Vila até a entrega dos apartamentos da CDHU, prevista para abril. Entretanto, no último final de semana, os moradores foram surpreendidos com uma notificação avisando que teriam que sair de suas casas nesta quarta-feira.

“Ferem-se os Direitos Humanos, fere-se a Constituição, fere-se o Estatuto da Criança, do Idoso fere-se tudo”, afirma.

Todo o quarteirão da Vila Itororó está cercado pela PM - Foto: Milene Valentir

Na pressa e sob pressão da PM, os moradores estão retirando o que podem de suas casas. Seus pertences serão levados para as residências de parentes e amigos.

Duas das oito famílias, porém, não estão cadastradas nem mesmo para receber a bolsa-aluguel. Segundo Antonia, a estes moradores foi prometido o valor de R$ 5 mil por seus imóveis, a ser entregue apenas depois do despejo.

Uma das vilas mais antigas da cidade, a Vila Itororó deverá ser transformada em um centro cultural e gastronômico, cujo projeto será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Cultura.

Questionado sobre o futuro das famílias, o oficial de Justiça Valdemir Aparecido, que acompanhou a ação, preferiu não responder. “A única coisa que sei é que tenho que cumprir o mandado”, diz.