Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Homicídio representa 1,5% das internações de jovens infratores

Dados da Fundação Casa demonstram que 86% estão presos por roubo e tráfico. Responsabilização criminal de menores voltou a ser pauta após a morte de jovem em SP











Foto: Inesc



José Francisco Neto

da Redação

Dados da Fundação Casa demonstram que 1,5% dos internos no estado de São Paulo cometeram homicídio. A maioria está detida por tráfico de drogas (41,8%) e roubo (44,1%). Os números foram divulgados pela ONG Conectas Direitos Humanos, no momento em que se discutem alterações na legislação sobre a redução da maioridade penal para 16 anos.

A responsabilização criminal de menores voltou a ser pauta após a morte do jovem de classe média Victor Hugo, na semana passada, na cidade de São Paulo. Um dos principais defensores da proposta é o governador Geraldo Alckmin (PSDB), com amplo apoio de setores da imprensa.

Lúcia Nader, diretora da Conectas, argumenta que a construção de políticas públicas baseada em fatos concretos seria a melhor saída para o problema da criminalidade juvenil. Ela avalia que, do contrário, “estaríamos diante de um paredão de execução, onde, em pouco tempo, a própria sociedade terminaria vitimizada por suas ideias absurdas”.

Segundo a Unicef, é direito da pessoa humana abaixo dos dezoito anos de idade ser julgada, processada e responsabilizada com base em uma legislação especial, diferenciada dos adultos.

A experiência de igualar adultos e adolescentes na legislação penal nos Estados Unidos, de acordo com o jornal New York Times, foi mal sucedida. Essa medida resultou em agravamento da violência, demonstrando que os adolescentes que cumpriram penas em penitenciárias voltaram mais violentos, segundo informou o jornal.

Foto: Inesc