Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Professores da rede estadual de São Paulo suspendem greve

Houve confronto entre a PM e professores que garantem que a Apeoesp não respeitou a decisão da maioria presente na assembleia


da Redação

Os professores da rede estadual de ensino de São Paulo decidiram, nesta sexta-feira (10), suspender a greve iniciada no dia 22 de abril. A suspensão foi decidida em assembleia realizada pela categoria na avenida Paulista, após as negociações com o governo estadual supostamente terem avançado.

De acordo com a Apeoesp (sindicato estadual dos professores), em reunião na manhã desta sexta-feira, representantes do governo se comprometeram em atender a algumas reivindicações da categoria. Entre elas, a diminuição do tempo que professores temporários precisam permanecer fora do cargo após o término do contrato. Eles também não terão que passar por outra avaliação contratual além da avaliação de qualidade feita pela Secretaria Estadual da Educação. Mais uma reunião será realizada na próxima semana, quando serão discutidos outros pontos da pauta de reivindicação dos professores.

Cerca de 2 mil pessoas participaram da assembleia que decidiu pela suspensão da paralisação. Segundo a Apeoesp, 60% dos grevistas votaram pelo fim da greve. A porcentagem foi motivo de controvérsia. Muitos professores garantem que a votação indicou o contrário e que a Apeoesp ignorou o verdadeiro posicionamento da assembleia, que seria o da continuação da paralisação.

Após a assembleia, um grupo que não concordou com a decisão cercou o carro de som onde estava a diretoria da Apeoesp. A Polícia Militar interveio e houve confronto com os manifestantes.

A categoria reivindica reajuste imediato de 13,5%; reposição salarial de 36,74%; cumprimento da lei do piso – no mínimo 33% da jornada para atividades de formação e preparação de aulas –; fim dos descontos de faltas e licenças médicas para efeito de aposentadoria especial; escola de tempo integral; fim da violência nas escolas; e melhores condições de trabalho, entre outras.

Crédito: Intelletcus Intacttus - Uma aliança entre professores, artistas, estudantes e operários

A greve dos professores da rede estadual de ensino de São Paulo se encerrou no dia 10 de maio. Houve confronto entre a PM e os professores, que garantem que a Apeoesp não respeitou a decisão da maioria presente na assembleia de continuidade da greve