Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Bancos privados fecham 5 mil postos de trabalho no primeiro semestre

Em geral, os trabalhadores que entram no sistema financeiro recebem remuneração 36% inferior à dos que saem


Jorge Américo

da Radioagência NP

As empresas privadas do ramo financeiro fecharam quase cinco mil postos de trabalho no primeiro semestre do ano. Os bancos com carteira comercial contrataram 15.173 bancários no primeiro semestre e desligaram 20.230. Ou seja, deixaram de repor 4.890 profissionais, segundo informações da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Os números, divulgados na sexta-feira (26), estão na contramão dos índices nacionais de desemprego. Dados do Ministério do Trabalho Emprego demonstram que o mercado abriu perto de 830 mil postos de trabalho com carteira assinada no mesmo período.

O Itaú Unibanco, com lucro de R$ 3,4 bilhões, lidera a lista, com 6.679 desligamentos. Na sequência, vem o Bradesco, com 2.309.

Os sindicalistas consideram a rotatividade de mão de obra uma maneira “perversa” de reduzir a renda. O salário médio dos admitidos no primeiro semestre foi de R$ 2.896,07. Já aqueles que foram desligados recebiam salário médio de R$ 4.523,65.

Em geral, os trabalhadores que entram no sistema financeiro recebem remuneração 36% inferior à dos que saem. A Contraf-CUT também destaca que as mulheres contratadas recebem salário médio 25% menor que os homens.