Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Relatório recomenda ao Brasil aprovação da PEC do Trabalho Escravo

Existem atualmente no mundo 29,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão. Segundo a Walk Free, o Brasil está em 94º entre os 162 países avaliados











Foto: Divulgação/MTE



Leonardo Ferreira,

de São Paulo, da Radioagência NP

O relatório Índice de Escravidão Global 2013, divulgado nessa quinta-feira (17) pela Fundação Walk Free, recomenda que o Brasil aprove a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Trabalho Escravo, que tramita há dez anos no Congresso Nacional.

A organização recomenda ainda que o Brasil aumente as sanções, a pena e a multa para o uso de mão de obra forçada, fortaleça a Lista Suja do Trabalho Escravo e pressione ainda mais as empresas que produzem ou que usem produtos provenientes de trabalho análogo à escravidão.

Existem atualmente no mundo 29,8 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão. Segundo a Walk Free, o Brasil está em 94º entre os 162 países avaliados proporcionalmente em relação à população. O país, segundo o relatório, tem de 170 mil a 217 mil pessoas em situação análoga à escravidão.

Somente em 2012, o Brasil registrou 189 casos de trabalho escravo, com a libertação de 2.723 pessoas, segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Segundo a CPT, as atividades nas lavouras e canaviais lideram o número de casos, seguida dos setores de produção de carvão vegetal usado em siderurgia e desmatamento.

A exploração sexual, sobretudo o turismo sexual infantil no nordeste, também são campos sensíveis, segundo o relatório, que cita ainda a exploração da mão de obra de imigrantes bolivianos em oficinas de costura.