Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Museu do índio: indígena permanece em árvore há mais de 24 horas

Aproximadamente 50 manifestantes cantam músicas indígenas e exibem cartazes de apoio ao índio, conhecido como Zé Guajajara











Foto; Reprodução/ABr



Da Agência Brasil

O índio José Urutal, da tribo Guajajara, continua, na manhã de hoje (17) em cima de uma árvore dentro do terreno do antigo Museu do Índio, próximo ao Estádio do Maracanã. O indígena, de 54 anos, já está na copa da árvore há mais de 24 horas. Ele faz parte do grupo de manifestantes que havia ocupado o prédio no último domingo (15) e foi retirado ontem por policiais militares do Batalhão de Choque.

Aproximadamente 50 manifestantes cantam músicas indígenas e exibem cartazes de apoio ao índio, conhecido como Zé Guajajara. Eles lançaram frutas e água para o indígena por meio de uma corda. Todos passaram a noite e a madrugada embaixo da árvore.

De acordo com o comandante da operação do Batalhão de Choque (BpChoque) , major Átila Pinto, pelo menos 30 policiais estão no entorno do prédio para impedir que os manifestantes voltem a ocupar o espaço, que ficou conhecido como Aldeia Maracanã. A polícia isolou a área com grades para impedir a aproximação de militantes.

Até o momento, 24 manifestantes foram encaminhados às delegacias de São Cristóvão, na zona norte, e à Praça da Bandeira, no centro da cidade. Eles foram autuados por resistência à desocupação do prédio do antigo Museu do Índio. O grupo prestou depoimento e foi liberado.