Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Partidos e movimentos sociais planejam formar frente de esquerda

Partidos e movimentos sociais planejam formar frente de esquerdaO primeiro encontro está programado para o início de janeiro, com atos pedindo a convocação de uma constituinte exclusiva para a reforma política











Reprodução



Do Portal Vermelho,

O ano de 2015, além das mudanças no Executivo e Legislativo, será marcado também pela formalização de uma nova frente de esquerda, de caráter nacional, a ser formada por movimentos sociais diversos, centrais sindicais e partidos políticos. As articulações, que já estão adiantadas, têm sido realizadas entre algumas das principais centrais, lideranças de ao menos sete entidades e os partidos PCdoB, PT, PSOL e PSTU, conforme informaram organizadores.

A ideia é trabalhar de forma conjunta por objetivos em comum, como a reforma política, por exemplo, e o combate a agressões que envolvam qualquer tipo de discriminação ou atentado a direitos humanos e projetos como a democratização da mídia. Por conta disso, uma das mobilizações que já está sendo organizada é para pedir que o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) seja punido por quebra de decoro parlamentar. Em pronunciamento no plenário da Câmara, Bolsonaro – que em 2015 dará início ao seu sétimo mandato – disse que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) “porque ela não merece”.

Contraposição

A frente prepara uma série de atos públicos a serem realizados em vários estados. E o trabalho tem o intuito, também, de se contrapor ao avanço de grupos conservadores e de direita não só nas ruas, mas no Congresso e no governo federal.

A primeira reunião realizada para discutir a formação do grupo contou com a participação de diversas entidades, entre elas Unegro, UJS, UBM, UNE, Ubes, Levante Popular da Juventude, MST, MTST, Fora do Eixo, CUT, CMP, Consulta Popular, Intersindical, Conlutas, Via Campesina e outros. Também estiveram presentes representantes do PCdoB, PT, Psol e PSTU.

Constituinte

O primeiro encontro está programado para o início de janeiro, com atos pedindo a convocação de uma constituinte exclusiva para a reforma política. Também está sendo organizado para fevereiro ato no Congresso Nacional para pedir pela cassação de Bolsonaro pelas ofensas verbais proferidas contra Maria do Rosário, que se configuraram como quebra de decoro parlamentar.