Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Dia da Mulher: a origem socialista

O 8 de março foi fixado após uma manifestação, organizada por tecelãs e costureiras de Petrogrado, foi o estopim da primeira fase da Revolução Russa em 1917


Por Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC)

Material conta história do Dia da Mulher com ilustrações do cartunista Latuff (Foto: NPC)

O 8 de março está chegando. Para contar a história da origem do Dia Internacional da Mulher, comemorado nessa data, o Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC) acabou de relançar a cartilha “A origem socialista do dia da mulher”.

Greve

A versão bastante difundida é uma greve ocorrida em 1857 em Nova Iorque, quando teriam morrido 129 operárias queimadas vivas. No entanto, o material mostra que a data tem uma origem socialista, que remonta ao início do século 20 e foi apagada ao longo dos anos, principalmente durante o período da Guerra Fria.

Inclusive o 8 de março foi fixado a partir de uma greve iniciada no dia 23 de fevereiro (calendário russo) de 1917, na Rússia. A data corresponde ao nosso 8 de março. Naquele dia, uma manifestação, organizada por tecelãs e costureiras de Petrogrado, foi o estopim da primeira fase da Revolução Russa. Como escreveu Alexandra Kollontai, membro do Comitê Central do Partido Operário Social Democrata Russo, “nesse dia as mulheres russas levantaram a tocha da revolução”.

8 de março

O material é bastante didático, com ilustrações do cartunista Carlos Latuff e texto de Vito Giannotti e Claudia Santiago. Mais do que flores e chocolates, os leitores verão que o 8 de Março é um marco das muitas lutas das mulheres no passado e as que elas ainda têm pela frente.

A cartilha está à venda por R$ 10,00 na Livraria Antonio Gramsci, que fica na Rua Alcindo Guanabara, 17, térreo, Cinelândia. Para garantir a sua, entre em contato pelo e-mail livraria@piratininga.org.br