Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Fatos em foco

Juiz considerou que o próprio Ibama, que autorizou a licença de Belo Monte, não cumpriu as pré-condições estabelecidas para a obra



Hamilton Octavio de Souza




Lucro fácil

Produtora do antidepressivo Lexapro, sucesso de vendas nos Estados Unidos, a empresa Forest Laboratories acaba de comprar o laboratório Clinical Data, que desenvolveu o antidepressivo Viibryd, a ser lançado em breve no mercado. É que a patente do Lexapro será quebrada em 2012 e a Forest precisa urgentemente de outro medicamento para manter os altos lucros da empresa – enquanto a sociedade é entupida de antidepressivos.

Aviões russos

A novela da compra de 36 aviões de caça para a Força Aérea Brasileira, que está sendo protelada desde 2007, e que envolve a quantia de 4 bilhões de dólares, parece ter um ingrediente novo no enredo: além dos conhecidos concorrentes na licitação – Boeing, dos Estados Unidos; Dassault, da França; e Saab, da Suécia –, entrou na parada a Sukhoi, da Rússia, que oferece transferir tecnologia de produção do caça Su-35 ao Brasil. Será mesmo?

Belo Monte

O juiz Ronaldo Desterro, da 9ª Vara Federal de Belém, no Pará, cassou, dia 25 de fevereiro, a licença de instalação parcial do canteiro de obras da usina hidrelétrica de Belo Monte. O juiz considerou que o próprio Ibama, que autorizou a licença, não cumpriu as pré-condições estabelecidas para a obra. É claro que a disputa judicial terá novos lances, mas não deixa de ser uma vitória dos povos do Xingu contra a obra faraônica.

Luta explosiva

Brasileiros retirados de Benghazi, na Líbia, onde estavam trabalhando especialmente para empreiteiras de obras, disseram que a população líbia mudou rapidamente de postura: saiu de uma situação de aparente apatia para uma explosão de luta feroz contra o governo de Muammar Gaddafi. Foi assim que enfrentaram soldados armados, tanques de guerra e tomaram os quartéis. O espírito revolucionário voltou no século 21!

Ouro negro

Economistas de todas as tendências chegaram a uma posição de consenso: se as rebeliões populares nos países árabes continuarem interferindo nos preços internacionais do petróleo, e o barril, que dia 28 de fevereiro estava em 112 dólares subir para um patamar próximo dos 150 dólares, a crise econômica na Europa e nos Estados Unidos vai aumentar a estagnação, causar recessão e mudar o panorama nos países em crescimento. O petróleo ainda é o rei das crises!

Desaparecidos

Apesar da pressão da direita contra a apuração da verdade nos crimes do Estado durante a ditadura militar (1964-1985), o Ministério Público Militar, do Rio de Janeiro, decidiu investigar os casos de aproximadamente 40 desaparecidos, cujos corpos não foram localizados até hoje. O entendimento do ministério é que esses casos não estão abrangidos pela Lei da Anistia e nem estão prescritos. É preciso saber o que aconteceu com essas pessoas.

Salada cultural

De acordo com o cineasta Silvio Tendler, diretor de “Utopia e Barbárie” e de vários filmes documentários de sucesso, a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, está tendo dificuldade de se entender com o setor cultural porque grupos de ativistas, alijados na mudança do governo, estão jogando cascas de banana no seu caminho. Ou seja, o tiroteio no setor não passa de “fogo amigo” dos que querem mais “poder” no Minc.

Equívoco danoso

Privatizada no governo FHC, a antiga Companhia Vale do Rio Doce, atualmente denominada apenas de Vale, obteve em 2010 um lucro líquido de R$ 30 bilhões, conforme balanço divulgado agora. Se ainda fosse uma empresa estatal, somente esse lucro cobriria a maior parte do corte orçamentário que o governo Dilma Rousseff pretende fazer este mês, que deve afetar a educação, a ciência e outras áreas sociais.

Crime bárbaro

O promotor e defensor dos direitos humanos Sebastião Bezerra Silva, residente em Paraíso, no Tocantins, foi torturado e barbaramente assassino no último fim de semana de fevereiro. Seu corpo foi encontrado no domingo, dia 27, e levado para o IML de Gurupi. Ele atuou em vários casos de violação dos direitos humanos, inclusive praticados por policiais militares. A coordenação da Comissão Justiça e Paz do Brasil manifestou indignação.