Brasil de Fato

Uma Visão Popular do Brasil e do Mundo

Documentário retrata as conseqüências da urbanização em São Paulo (SP)

Média metragem “(À) Deriva Metrópole São Paulo” retrata insegurança e luta diante da especulação imobiliária


Aline Scarso,
da Reportagem


“(À) Deriva Metrópole: São Paulo” é refletida no prédio da Igreja
do Largo Santa Cecília - Foto: Mapa Xilográfico

Com os olhos atentos à tela iluminada, pessoas param a conversa para conferir o documentário que de tantos chama a atenção. A média metragem “(À) Deriva Metrópole: São Paulo”, refletida no prédio da Igreja do Largo Santa Cecília, no centro em São Paulo (SP) na noite do domingo (11), é observada com curiosidade por transeuntes e clientes de bares próximos.

Feito pelo coletivo Mapa de Xilográfico, “(À) Deriva Metrópole: São Paulo” repercute graves problemas do processo de urbanização da cidade e mostra o desrespeito ao direito básico de moradia. Trata, dentre outros casos, da construção do Rodoanel, da situação da população de rua na região central, da ameaça de desmatamento e poluição de Marsilac e da ação de comunidades que podem ter a vida afetada por projetos e empreendimentos.

No Largo Santa Cecília, o documentário é assistido também por pessoas do bairro que foram entrevistadas pelo coletivo. Exibir e disponibilizar o filme para as comunidades que ajudaram a construí-lo é, na opinião da integrante do coletivo Tábata Costa, contribuir com mais uma ferramenta para que continuem resistindo à ameaça de expulsão de suas moradias e aos problemas urbanos.

“A gente ficou mais de um mês em muitos dessas regiões, contatando várias pessoas e as encontrando diversas vezes. As comunidades abriram suas casas, escolas, espaços culturais. Foram muito receptivas e tivemos uma troca muito grande. Então não fazia sentido não retornar lá. Queremos que usem o documentário também como ferramenta na sua atuação”, afirma.

Além de Tábata, o coletivo é formado pelos professores Diogo Rios e Milene Valentir. Durante todo o ano de 2011, eles visitaram, entrevistaram e fizeram intervenções artísticas nos bairros Jardim Pantanal e União de Vila Nova na zona leste, Jardim Corisco na zona norte, Santa Cecília no centro, Perus na zona noroeste e Marsilac na zona sul.

Com o documentário pronto, retornaram às comunidades e organizaram sessões. O retorno tem sido positivo, afirma Tábata. “As pessoas sempre se empolgam e contam mais histórias. Também querem saber mais do projeto e conhecer mais a gente”.

“No meio dessa loucura toda de São Paulo, a gente acaba conhecendo muita gente legal e interessante, que enfrenta com muita resistência e muita luta os problemas que têm. É muito estimulante ver que não estamos sozinhos, que não somos só nós que nos incomodamos com as coisas e queremos fazer a nossa cidade”, complementa a integrante.

Para quem quiser assistir ao documentário, ainda estão programadas mais duas sessões. Na próxima sexta-feira (16), o vídeo será exibido no Sarau do Quilombaque em Perus a partir das 20h. E no sábado (17) será passado no Centro de Engenheiro Marsilac às 19h30.

Veja trailler de (À) Deriva metrópole: São Paulo

Serviço:

Exibição do documentário “(À) Deriva Metrópole São Paulo”

16/12 – a partir das 20h: Sarau do Quilombaque – Perus (zona noroeste)

17/12 – a partir das 19h30: Centro de Engenheiro Marsilac – Marsilac (zona sul)

Clique aqui e confira mais informações do evento no facebook