Seleção Brasileira na Copa do Mundo

PAPO ESPORTIVO | Reflexões de dois dias sem Copa do Mundo

Tem uma galera que parece gostar de reclamar da Seleção Brasileira apenas para falar “eu avisei” em caso de derrota

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Neymar e Paulinho comemoram a vitória do Brasil sobre o México pelas oitavas da Copa do Mundo / Lucas Figueiredo / CBF

Acredito que muitos de vocês devem estar como eu: num completo estado de abstinência de jogos da Copa do Mundo. Difícil ligar a TV e não ver nenhum jogo, não ver a Seleção Brasileira em campo e ficar sem a festa da torcida nas arquibancadas dos estádios. Podem me julgar, mas quem é apaixonado por futebol sabe exatamente do que eu estou falando.

Mas esse período sem partidas da Copa do Mundo serve pra gente refletir um pouco sobre o que vem acontecendo lá na Rússia. Principalmente com a Seleção Brasileira. Não sei vocês, mas estou com a impressão de que existe uma perseguição em cima dos comandados de Tite. Teve até ator da série dos filmes de Harry Porter metendo o bedelho nas redes sociais. Interessante notar que todos eles, defensores do fair-play, ficaram calados quando os jogadores ingleses simularam agressões e cavaram pênaltis no jogo contra a Colômbia.

NEYMAR AINDA É O ASSUNTO MAIS COMENTADO

Neymar segue no olho do furacão. Não pelos seus dribles e gols, mas pela maneira como reage quando recebe faltas. Falando mais francamente, se o camisa dez resolver rolar no chão de Moscou até Lisboa depois de receber um pontapé isso é problema dele. A obrigação da arbitragem é marcar a infração e aplicar a punição de acordo com o que as regras do jogo mandam. Ponto. Neymar é caçado em campo. Mas (voltando ao papo das perseguições) parece que as pessoas se esquecem disso e focam apenas no que não interessa. Aliás, esse papo de “culpar a vítima” por uma agressão recebida é prática bem comum em nossa sociedade. Não é?

E AGORA ESTÃO IMPLICANDO COM GABRIEL JESUS

E como se já não bastasse o fato de grande parte da imprensa esportiva ter cornetado Neymar, Alisson, Thiago Silva, Paulinho e Willian, as armas agora estão apontadas para Gabriel Jesus. Reclamam que o camisa nove não faz gols (como se Zinho tivesse obrigação de balançar as redes em 1994). Não sei se vocês notaram, mas Gabriel Jesus cumpre função tática importantíssima no esquema de Tite na Seleção Brasileira. 

Se Neymar e Firmino conseguiram marcar os gols da vitória contra o México, é porque o garoto estava lá segurando a onda no lado esquerdo marcando e se desdobrando na armação das jogadas. Gabriel Jesus se transformou em alvo de uma galera que parece gostar de reclamar da Seleção Brasileira apenas para falar “eu avisei” em caso de derrota na Copa do Mundo.

Que o time faça aquilo que o grande Rivaldo postou nas suas redes sociais. Que a Seleção jogue o que sabe. Que continue incomodando aqueles que estão criticando. E tenhamos fé que esse bendito hexa há de chegar.

Edição: Brasil de Fato (RJ)