Feijão branco não é só para Cassoulet

Imagem de perfil do Podcast
Alimento é Saúde

Ouça o áudio:

Além do famoso Cassoulet, também é possível fazer patê, hamburguer e vinagrete com feijão branco / Tjena | Pixabay
Rico em fibras vitaminas e ferro, o feijão branco é benéfico para a saúde

Da feijoada à sopa, o feijão é um dos alimentos mais consumidos no Brasil. Dupla inseparável do arroz e prato típico da cultura brasileira, ele é uma paixão nacional, rico em nutrientes, como o ferro, que evita anemias e faz a fixação de oxigênio nos músculos. 

Entre os muitos tipos de feijões existentes, está o branco, maior que o feijão carioca e de coloração esbranquiçada e seus benefícios para o bom funcionamento do corpo são bastante notórios e uma ótima opção para uma alimentação saudável. 

Bruna Quaglio, nutricionista formada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), explica que o feijão branco é muito bom para a saúde: "em relação ao feijão branco, ele tem muitos benefícios. É bem rico em fibras, não tem tantas calorias, tem muitos aminoácidos, consequentemente proteínas, tem bastante cálcio, ferro, magnésio, fósforo e também vitaminas E e K, além do ácido fólico. Ele é bem rico".

Pela quantidade alta de proteínas e nutrientes, ele também é aliado das dietas veganas e vegetarianas. "Como o feijão branco é muito rico em cálcio e aminoácidos, é de suma importância ser consumido. Na verdade, todos os feijões. Porque é uma dieta que não faz o consumo de animais (que são uma boa fonte de proteínas e vitaminas B12), esses feijões substituem bem, sempre alinhado a um cereal (como arroz por exemplo)", comenta Bruna. 

Um fato curioso sobre este tipo de alimento é que, nos Estados Unidos, o feijão branco é conhecido como Navy Bean (feijão dos navegadores), por ser um dos principais suprimentos para a Marinha estadunidense, desde meados do século XIX. Isso acontece, também, porque diferente dos outros tipos de feijão, o branco mantém seus valores nutricionais mesmo quando enlatado.

Ele também tem um importante papel para quem tem diabetes, "por conta do seu teor de fibra e proteína, ele aumenta bastante a saciedade quando consumido. Além disso, ele tem uma proteína chamada faseolamina, que auxilia na absorção da glicose — reduz pico de glicemia, interessante para diabéticos. Mas, quando cozinhamos o grão, ele perde bastante desta proteína, praticamente inteira. O ideal é consumir a farinha do feijão branco".

E o melhor, existem várias receitas e formas diferentes para comer feijão. Bruna Quaglio destaca algumas dicas: "Tem várias receitas que podem ser feitas. Eu gosto muito de vinagrete, você faz um vinagrete normal, coloca tomate, cebola, salsinha ou coentro, vinagre, sal e azeite e adiciona o feijão branco já cozido. Tem também o feijão normal, e aí você coloca a carne que quiser, uma folha de louro e uns temperos. Dá para fazer hambúrguer e também dá para fazer patê".

Por isso, para quem não está acostumado, é bom sair do básico e fazer receitas que vão além do arroz com feijão. 

Edição: Michele Carvalho