Veganismo: quais são os cuidados para manter uma dieta saudável

Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

Interesse por produtos livres de ingredientes de origem animal tem crescido no Brasil
Interesse por produtos livres de ingredientes de origem animal tem crescido no Brasil - Fernando Frazão/ Agência Brasil
A suplementação pode ser necessária e é bem-vinda para tratar uma deficiência

O interesse por produtos veganos tem ganhado cada vez mais adeptos no Brasil e no mundo. O estilo de vida é baseado em não consumir e nem utilizar qualquer produto de origem animal. A motivação para se adotar esse tipo de dieta é variada. Pode ser por motivos éticos, religiosos, de saúde, entre outros.

Há pessoas, no entanto, que acreditam que o veganismo, por si só, é sinônimo de uma vida mais saudável. Essa afirmativa, no entanto, é controversa. E quem explica o porquê é a nutricionista Viviane Lago, que também é presidenta da Associação Paulista de Fitoterapia (APFit).

A profissional alerta que se não houver atenção e ponderação, a alimentação vegana pode descambar para o excesso de certos nutrientes e para a falta de outros.

"As pessoas tiram as proteínas de origem animal e passam a consumir muitos carboidratos - dos grãos, das fibras. E, muitas vezes, isso também não é interessante porque eles têm fatores antinutricionais. É esse cuidado que engana, o fato de não comer a carne e achar que isso que é saudável", afirma.

A nutricionista explica que a deficiência da vitamina B12, por exemplo, é comum quando se deixa de consumir proteína animal, porque ela é encontrada principalmente nesse tipo de alimento. A B12 ajuda a prevenir problemas cardíacos e derrame cerebral.

Por isso, Viviane destaca que é imprescindível a realização de exames médicos e a busca por orientação nutricional quando se adere a uma nova dieta. Em alguns casos, como explica a nutricionista, há a necessidade de complementação de nutrientes.

"A gente tem suplementos de vitaminas, de minerais - ou ambos - e até mesmo suplementos proteicos. Precisamos ajustar a quantidade de acordo com o peso e com a necessidade do paciente. Mas a suplementação pode ser necessária, sim, e super bem-vinda, não só para tratar uma deficiência, mas também para prevenir."

Segundo Viviane Lago, o mercado de produtos veganos está cada vez mais amplo, o que permite a complementação para a deficiência de nutrientes com suplementos de origem vegetal. No entanto, o alto custo de alguns desses produtos ainda é um empecilho encontrado por parte dos adeptos.

"Já existe no mercado alguns suplementos de B-12 que não vêm do animal, que são adaptadas para esse público. Mas às vezes é de alto custo, e nem todo o paciente consegue [comprar]. Então a gente tem que avaliar qual é o motivo que levou esse paciente a adotar esse estilo de vida, tentar contornar a situação e depois trabalhar para não ter mais deficiência. Hoje, a gente consegue, sim, manter uma dieta dessas sem deficiência", completa.

Ainda não se tem no Brasil números sobre a quantidade de pessoas adeptas ao veganismo. Mas, uma pesquisa realizada em 2018 pelo Ibope apontou que o interesse dos brasileiros por produtos livres de ingredientes de origem animal tem crescido. Na época, mais da metade dos entrevistados declarou que consumiria mais produtos veganos se estivessem melhor indicados na embalagem ou se o preço fosse o mesmo que o dos produtos que estão acostumados a consumir. 

Edição: Michele Carvalho