Você sabia que dá para comer fungo?

Imagem de perfil do Podcast
Alimento é Saúde

Ouça o áudio:

O champignon, também conhecido como cogumelo-de-paris, é o favorito dos brasileiros e pode ser usado em diversas refeições. / Divulgação | Bela Cozinha 3
Das 200 mil espécies de fungos, algumas podem fazer parte da alimentação

Por pertencer a família dos macrofungos, os cogumelos apresentam uma estrutura muito simples: não possuem raízes, flores ou folhas. Eles são, na verdade, apenas a parte visível, a olho nu, de fungos que só podem ser vistos com microscópios.

Segundo o Instituto de Botânica de São Paulo, existem cerca de 200 mil espécies desses fungos, que assumem diversas formas e cores, capazes de brotar até nos lugares mais impróprios.

Os cogumelos que são comestíveis se enquadram nos chamados alimentos do grupo fungi. A nutricionista Laís Villela cita alguns que a gente pode comer e porque não devemos nem chegar perto de algumas espécies.

“Existem muitas espécies de cogumelos, mas apenas 10% deles nós podemos comer. Os mais comuns são os champions-de-paris, o chitaque, o chimeji, a trufa e o porto belo. Algumas espécies, que na verdade são a maioria, 90% deles, nós não podemos comer pois possuem uma substância venenosa ou até mesmo alucinógena, que pode ser tóxica para o nosso organismo. Por isso, não é interessante consumirmos aquele cogumelo que se encontra na natureza, justamente porque a gente não sabe se ele é comestível ou não. Para poder ingerir, se deve comprar no supermercado”, explica.

Os champignons, como dizem os franceses, ou funghi, como são chamados pelos italianos, fazem parte dos pratos mais apreciados no mundo inteiro. Por isso, o cogumelo acaba sendo considerado um alimento chique.

No entanto, eles são muito ricos para nossa saúde e podem ser fonte de vitaminas e minerais que agem de forma antioxidante. Ajudando até mesmo na prevenção de câncer, segundo a nutricionista. Ela também ensina diversas maneiras de preparar os cogumelos, menos requintadas. Além disso, nos conta quais são as propriedades nutricionais deste alimento. 

“Os cogumelos comestíveis podem ser usados em molhos, strogonoffs, sopas, feitos na forma de refogado ou grelhado e usado em conservas, pizzas, massas e até em risotos. Os cogumelos têm pouca quantidade de gordura, poucas calorias, muitas fibras e uma boa quantidade de proteínas o que torna um excelente alimento para quem é vegano ou vegetariano. Além disso, eles podem ser benéficos para qualquer pessoa porque são ricos em vitaminas e minerais”, explica.

A nutricionista explica também que o cogumelo é considerado um alimento funcional, ou seja, traz benefícios para nossa saúde e pode ser usado para tratar doenças. Na estrutura dele, por exemplo, tem uma fibra solúvel, chamada beta-glucana, que ajuda muito na redução do colesterol. 

Edição: Michele Carvalho