PARALISAÇÃO

Não é ‘só’ contra o golpe: é pelo seu futuro e o do Brasil

Com a desculpa de “aquecer e dinamizar a economia”, destruirão direitos como férias, 13º e muito mais

Rio de Janeiro

,
Participe do Dia Nacional de Paralisação e Protestos na próxima quinta-feira (22) / Rovena Rosa / Agência Brasil

Desde que assumiu interinamente a presidência, o golpista Michel Temer já iniciou a implementação de um pacote de medidas contra você, trabalhador e trabalhadora, contra seu futuro e o dos seus familiares, contra os interesses do povo brasileiro e a soberania nacional.

Além da privatização de diversos serviços, setores estratégicos da economia, o golpista Temer já sinalizava que, após a concretização do golpe – que ocorreu no dia 31 de agosto, no Senado – avançaria na retirada de direitos.

Com a desculpa de “aquecer e dinamizar a economia”, destruirão direitos como férias, 13º, acesso do trabalhador ao FGTS em caso de demissão sem justa causa e muito mais.

Seguem com o argumento mentiroso de que a Previdência está para quebrar e, com apoio da grande mídia, querem fazer com que você trabalhe até 65 anos antes de se aposentar.

Já avisaram que congelarão salários de servidores públicos como professores, enfermeiros, merendeiras etc., mas dão aumento absurdo a juízes, procuradores etc.

A Constituição Federal prevê valores mínimos a serem investidos na saúde e na educação, por exemplo. Pois o golpista Temer já avisou que desrespeitarão a Lei e congelarão esses valores. Querem, assim, menos saúde e menos educação para o povão.

Isso fora o aumento da repressão aos trabalhadores, retirada de recursos do Minha Casa, Minha Vida e aumento de recursos para financiamento de casas de luxo etc.

Para o dia 22 de setembro, próxima quinta-feira, as principais centrais sindicais do Brasil e a Frente Brasil Popular convocaram um Dia Nacional de Paralisação e Protestos. Além de passeata no Centro do Rio no final do dia, as principais categorias profissionais pararão a produção e a circulação de bens e serviços. Mostraremos a Temer e aos grandes empresários que o custo da crise não será jogado nas costas do povo trabalhador.

Não aceitaremos a retirada de direitos, não aceitaremos a venda das riquezas e da soberania nacional. Nosso futuro e nossos direitos não serão destruídos para que os grandes lucrem cada vez mais.

Todos e todas ao Dia Nacional de Paralisação e Protestos!