Esportes

Fim de programa de bolsas de incentivo pode prejudicar oito mil atletas

Esgrimista curitibana comenta as dificuldades no cenário esportivo do país com o governo de Temer

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,

Ouça a matéria:

Luiza Lee, Giulia Gasparin, Karina Lakerbai e Stephanie Grosche, beneficiárias do Bolsa Atleta, foram bronze no Sul-Americano de esgrima / Arquivo pessoal

A atleta curitibana Giulia Gasparin representa o Brasil em competições de esgrima desde 2008. Há sete anos, recebe incentivo do programa Bolsa Atleta, que já beneficiou 23 mil esportistas em todo o país com depósitos mensais. No próximo ano, porém, o patrocínio desses atletas está sob a ameaça da política de cortes do Governo Federal: a proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA),  enviada à Câmara dos Deputados em setembro, prevê uma redução de 87% na verba destinada ao Ministério do Esporte no próximo ano.

“Esse programa é fundamental para que possamos treinar e competir. O Bolsa Atleta foi decisivo em minha carreira”, defende Giulia. Ela e mais três esportistas, todas beneficiárias do programa, conquistaram neste mês a medalha de bronze no campeonato Sul-Americano em Santiago, no Chile. “Ainda assim, o valor que recebemos não dá conta do nosso sustento. Eu preciso trabalhar para complementar a renda. Sem o incentivo, milhares de atletas serão prejudicados”, avalia.

Na Câmara

A comunidade esportiva está em alerta pela manutenção dos programas de financiamento ao esporte. Uma audiência pública ocorrida na última semana, em Brasília, discutiu saídas para o próximo ano. “Um possível fim do Bolsa Atleta é uma perda para todo mundo. O esporte promove união, saúde, oportunidade e inspiração. Ele ajuda a desenvolver valores no ser humano”, defende Giulia. Com a esgrima, além de medalhas, ela ganhou a oportunidade de desenvolver seu foco e a capacidade de atenção no dia a dia.

A comunidade presente na audiência pública declarou que a intenção é pressionar para que o orçamento do próximo ano seja, pelo menos, igual ao de 2017.

Bolsa a milhares de atletas

Criado em 2005, programa Bolsa Atleta é o maior programa de patrocínio individual no esporte em todo o mundo. Segundo Giulia, apesar de ser concedido a atletas que têm medalhas ou bom ranking, ainda abrange a base e ajuda atletas com condições mais precárias. Só no ano passado, foram atendidos 7.297 representantes brasileiros no esporte, em diferentes modalidades.

Edição: Ednubia Ghisi