Entreguismo

Editorial | Por que criticamos as privatizações?

Abre-se espaço para privatização e perda de controle nacional da Embraer

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
O governo federal quer levantar perto de R$ 12 bilhões com a privatização da Eletrobras, quando o valor estimado da empresa é R$ 370 bilhões / Beto Barata/PR

Novo erro grave de Temer (MDB) ao anunciar, na semana passada, a criação de uma empresa conjunta do ramo de aviões comerciais, entre a brasileira Embraer e a estadunidense Boeing, com controle acionário da empresa estrangeira.

Se isso ocorrer, abre-se espaço para privatização e perda de controle nacional da Embraer, que é referência mundial em tecnologia na fabricação de aeronaves.

Por que denunciamos as privatizações e defendemos as estatais? Empresas estatais e públicas são importantes no controle de preços para a população, também na formação de uma indústria de base que fez da economia brasileira a oitava do mundo.

Privatizações, ao contrário do que a rede Globo noticia, envolvem corrupção, não cumprem objetivos e vendem, a preço de banana, nossas melhores empresas para bancos e empresas estrangeiras.

O governo federal, por exemplo, quer levantar perto de R$ 12 bilhões com a privatização da Eletrobras, número incomparável com o valor total da empresa, estimado em R$ 370 bilhões. 

Para ter uma ideia da atual falta de investimentos do Estado, o investimento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) era de R$ 190 bilhões de investimentos em 2013 e passou a R$ 70 bilhões em 2017.

 

 

Edição: Pedro Carrano