Natureza

Coluna | De onde vem o corpo da planta?

Por muito tempo achamos que essa matéria que forma o corpo de uma planta provinha do solo, mas não é bem assim

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
"Se secarmos todo o corpo de uma planta e desconsiderarmos a pequena quantidade de sais existentes nela, veremos que ainda sobrará muito" / Reprodução

Para que um ser vivo se mantenha vivo ele precisa basicamente de duas coisas: uma fonte de matéria e de energia. Substâncias que servirão de base para o seu corpo crescer e energia que fará com que seu metabolismo funcione. Os diversos tipos de seres vivos possuem estratégias diferentes para conseguir isso. Um animal (por exemplo, um ser humano) retira a maior parte das substâncias e da energia que precisa de sua comida.

Toda vez que comemos algo estamos roubando a matéria e a energia contida naquele alimento, que pertencia a outro ser vivo, para nós. Já uma planta apresenta outra estratégia. Você deve se lembrar que elas absorvem a energia que precisam para sobreviver da luz, por um processo chamado fotossíntese. Mas, e a matéria, os átomos e moléculas que formarão seus galhos, suas folhas e frutos, de onde ela retira?

Por muito tempo, achamos que essa matéria que forma o corpo de uma planta provinha do solo. Era algo bastante óbvio de se pensar, não é mesmo? Eu enterro uma pequena semente e, depois de um tempo, ela se transforma em uma grande árvore. Logo, foi o solo a fonte de todo o seu corpo. Mas hoje sabemos que não é bem assim. Do solo, a planta absorve basicamente a água e uma pequena quantidade de sais minerais (aquilo que chamamos no dia-a-dia de adubo).

Se secarmos todo o corpo de uma planta e desconsiderarmos a pequena quantidade de sais existentes nela, veremos que ainda sobrará muita coisa. Essa massa que sobra, que é a matéria que forma as proteínas, os carboidratos e demais substâncias orgânicas é absorvida do ar pelas folhas da planta. Por exemplo, uma goiabeira que pesa 100 kg terá aproximadamente 35 kg de massa seca, que veio quase totalmente da atmosfera na forma de gás carbônico.

Esse processo, chamado de fixação do carbono, também é de responsabilidade da fotossíntese. Toda vez que queimamos gasolina, álcool, carvão ou outro combustível, estamos liberando o carbono que estava fixado naquela substância (que antes esteve fixada em algum organismo) no ar. Essa é uma das causas do efeito estufa, fenômeno que leva ao aumento da temperatura e que pode contribuir para as tão preocupantes mudanças climáticas que vivemos.

Por isso é tão importante plantarmos mais e evitarmos a destruição de florestas e matas. Isso faz com que haja uma maior retirada por parte dos vegetais do gás carbônico da atmosfera, o que contribui para a diminuição do efeito estufa. Um abraço e até a próxima!



*Renan Santos é professor de biologia da rede estadual de Minas Gerais

Edição: Joana Tavares