MEMÓRIA

5ª Noite da Libertação homenageia resistência dos Pretos-Velhos em Minas Gerais

Praça 13 de Maio, em BH, terá celebração pela luta de ancestrais

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
A 5ª Noite da Libertação será na Praça 13 de Maio, no bairro da Graça, em Belo Horizonte / Julia Lanari

Terreiros de Umbanda realizam na rua uma celebração com muita comida e cores. Eles celebram os 130 anos da abolição da escravatura homenageando seus guias espirituais, os Pretos-Velhos, e suas histórias de resistência. A Noite da Libertação acontece há mais de 35 anos e já é data aguardada pela comunidade umbandista mineira.

Para Pai Ricardo, zelador da Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente e um dos organizadores do evento, a data da assinatura da Lei Áurea não é de se festejar “pois ninguém deve ser escravizado”, mas sim para aflorar a consciência da resistência, lembrar dos caminhos e se fortalecer.

“Os pretos velhos são os mensageiros, mentores espirituais da Umbanda. São entidades que se incorporam em médiuns e muitos deles viveram na época da escravidão. Celebrar os pretos velhos no dia 13 de maio é uma forma da gente valorizar a resistência e luta que eles tiveram. Porque a gente acredita que a coisa não partiu tão bem, assim. Houve luta, embatimento, questões políticas, resistência”, explica. 

A lei que proibiu a escravidão no Brasil foi assinada em 13 de maio de 1988. No entanto, as lutas de resistência iniciaram muito antes. O principal quilombo brasileiro, o Quilombo de Palmares, por exemplo, surgiu por volta de 1590.

Contra a intolerância

Conforme Pai Ricardo, a celebração é também contra a intolerância religiosa e o racismo que, nas palavras dele, ficaram mais “escandalosamente explicitados” neste ano. “Virou uma terra de ninguém, pessoal faz as coisas e ninguém é punido. Apesar de ter leis, não temos mecanismos eficazes para alguém ser punido. Esse ano a coisa deu uma escancarada, com esses golpes que estamos sofrendo e o sequestro dos nossos direitos”, explica. 

A festa 

A 5ª Noite da Libertação será na Praça 13 de Maio, no bairro da Graça, em Belo Horizonte, no sábado (12), a partir das 18h.

Os centros de Umbanda se reunirão na praça, recebendo o público com atabaques, incensos, cantigas, orações, comidas típicas e passes, tudo gratuito. O local será limpo antes e depois da festa. A casa Pai Jacob do Oriente levará broas de fubá e feijão tropeiro, comidas que os pretos-velhos apreciam.

 

Edição: Joana Tavares