ELEIÇÕES

Editorial | Lançar Lula pré-candidato é um ato de coragem da esquerda brasileira

A disputa nas urnas representa a chance de defesa a um projeto de nação

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Lançamento da candidatura de Lula reuniu eleitores, militantes de movimentos populares e parlamentares / Ricardo Stuckert

Passados mais de dois meses de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, "o Sol há de brilhar mais uma vez e a luz há de chegar aos corações" do povo brasileiro!

Na sexta-feira (8), o lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República, realizado em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte (MG), simbolizou mais um ato de coragem da esquerda e de quem defende a democracia no Brasil frente aos desafios da crise política e econômica que se instaurou no país desde o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2016. 

 O lançamento da pré-candidatura de Lula se coloca como um fato político relevante, uma vez que, sua participação nas eleições presidenciais deste ano representa a possibilidade de enfrentamento e imposição de uma derrota aos que golpearam a democracia brasileira, e tem atacado duramente a vida dos trabalhadores e trabalhadoras e a soberania nacional. A disputa nas urnas que se aproxima, representa, portanto, a chance de defesa a um projeto de nação e desenvolvimento nacional que corresponda aos interesses do povo brasileiro.  

No entanto, a mídia, tendo como principal exemplo a Rede Globo, e os jornais de grande circulação impressos, não tem divulgado a pré-candidatura do ex-presidente Lula e, quando o fazem, rapidamente associam o conteúdo do tema em questão à corrupção, lavagem de dinheiro, invisibilizando a voz do povo registrada nas pesquisas recentes e que apontam larga preferência pelo ex-presidente, líder nas intenções de voto.

Sabemos que há outras candidaturas de esquerda à Presidência e que se colocam verdadeiramente ao lado da população. São pleitos legítimos, que encontram ainda alguma brecha democrática e que por isso mesmo exercem seu direito político de entrar no certame eleitoral. Por outro lado, o mais importante para a democracia brasileira nesse momento é defender a liberdade de Lula e seu direito de ser candidato, com as palavras de ordem “Lula Livre” e “Eleição Sem Lula é Fraude”! E sim, é fraude, pois numa democracia o maior líder da história de um país não pode ficar de fora de eleições livres e diretas. Se fica de fora, é porque este país se encontra em um Estado de Exceção.

Se o golpismo está dividido sobre qual candidatura emplacar, contudo, para as forças democráticas e progressistas não há controvérsias quanto as bandeiras e palavras de ordem acima. Essas são bandeiras de unidade, o que é fundamental para as conquistas populares.

Sabemos também que a vitória há de chegar e que Lula honrará as lutas que tantos trabalhadores e trabalhadoras estão travando para reestabelecer a democracia no país.  Em outubro teremos nas urnas "o juízo final", assim como na imortal canção de Nelson Cavaquinho, citada no início do presente texto. Será "a história do bem e do mal". Dos que lutam em defesa dos interesses do povo contra aqueles que retiram o seu pão para engordar as riquezas dos que só exploram.

 

Edição: Monyse Ravenna