PREFEITURA

Paulo Messina pede demissão após mais desavenças com César Benjamin

Em maio, o secretário de Educação já tinha pedido demissão, agora foi a vez da Casa Civil

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Crivella (à esquerda), Messina e Benjamin (à direita) durante reunião em agosto de 2017 / Divulgação/Facebook

A guerra entre Paulo Messina, secretário da Casa Civil, e Cesar Benjamin tem um novo capítulo. Nesta quarta-feira (4), Messina pediu demissão depois de mais um desentendimento com o secretário de educação de Crivella. Em maio, Benjamin colocou o cargo à disposição, mas voltou atrás no mesmo dia. Messina ainda não se pronunciou, mas deve retomar à Câmara Municipal, na qual é vereador pelo PRB (mesmo partido de Crivella).

A briga entre os dois vem se estendendo desde que Messina deixou a liderança do governo da Câmara Municipal e se tornou secretário há 5 meses e já rendeu declarações públicas do secretário de educação chamando o mandatário da Casa Civil de “espertalhão” e “napoleão de hospício”. 

“Não desejo trabalhar em um ambiente contaminado por esperteza, cinismo, espionagem e intriga. Quero distância disso. Nunca, nem mesmo em situações excepcionalmente difíceis, negociei minha honra”, escreveu Benjamin em nota divulgada na época. Ao mesmo tempo, a Casa Civil, sob a gestão de Messina, demonstrou que a Secretaria de Educação tinha feito uma solicitação de verba para 19 contratos sem licitação. 

Atualização - 19:38, 04/07/2018

A assessoria da Casa Civil divulgou a seguinte nota:

"Em virtude dos ataques incessantes que vem sofrendo do secretário de educação, a despeito do acordo assinado por ambos a pedido do Prefeito no dia 23 de maio, o secretário da Casa Civil, Paulo Messina, pediu pessoalmente ao mandatário do executivo a sua exoneração do cargo, para reassumir sua vaga como vereador na Câmara Municipal. O Prefeito pediu a Messina que reconsidere a decisão."

Edição: Brasil de Fato RJ