PREFEITURA

Em reunião com pastores, Crivella promete cirurgias de catarata e ajuda para isenção

O encontro reuniu cerca de 250 pastores e lideranças de igrejas evangélicas nesta quarta-feira (4) no Palácio da Cidade

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Em áudios que já circulam na internet é possível ouvir de forma clara Crivella instruir os pastores sobre a facilitação dos processos / Valter Campanto/Agência Brasil

Em uma reunião secreta com mais de 250 líderes evangélicos do Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella (PRB) prometeu facilidades para conseguir cirurgias de catarata, varizes, acelerar os processos de isenção de IPTU das igrejas presentes, dentre outros benefícios. As informações são do jornal O Globo, que esteve no encontro e divulgou o conteúdo da reunião.

Em áudios que já circulam na internet é possível ouvir de forma clara Crivella instruir os pastores a entrar em contato com pessoas específicas da prefeitura para conseguir especificamente furar a fila da cirurgia da catarata e dos processos de isenção de IPTU.

A notícia gerou preocupação. Renato Santos, da Rede de Médicos e Médicas Populares, explicou como funciona atualmente o atendimento especializado e cirurgias no Rio.

“O que o Crivella disse é que os pastores poderiam indicar pessoas que necessitassem de procedimentos, no caso específico de catarata, e procurassem uma pessoa específica lá, chamada Márcia e que essa pessoa anotaria e em duas semanas isso seria resolvido. O que o Crivella ofereceu para os pastores foi uma forma de furar a fila”, explicou Santos.

Hoje em dia, o fluxo estabelecido pela gestão do Rio de Janeiro é pelo SISREG, um sistema de regulação. Primeiro o paciente é atendido numa unidade de atendimento básico, como uma clínica de família, e durante a consulta é analisada a necessidade de uma consulta com especialista ou procedimento específico. E só então o paciente é encaminhado e colocado na fila da SISREG, levando em conta a urgência do caso. Atualmente esse processo pode levar de 2 meses a até um ano.

“Pelo que o Crivella disse nessa reunião, você colocaria pessoas aleatórias de acordo com o interesse dos pastores a frente dessa fila. Isso é uma forma de burlar a fila e aparentemente uma forma ilegal de se fazer isso”, concluiu o médico.

Questionada sobre a reunião, a prefeitura soltou nota alegando que o objetivo do encontro foi de prestar contas e divulgar serviços do município. Segundo a prefeitura, esses tipos de encontros são corriqueiros da prefeitura, com os mais diversos setores da sociedade.

Entretanto, uma parte do texto divulgado pela gestão Crivella preocupa. Nela, é citada uma festa realizada no governo passado para “parte da imprensa”, que custou aos cofres públicos 200 mil reais, insinuando que são os jornalistas a pedir por regalias.

Veja a nota completa:

A Prefeitura do Rio informa que a reunião citada teve como objetivo prestar contas e divulgar serviços importantes para a sociedade, entre eles o mutirão de cirurgias de catarata e o programa sem varizes.  A Prefeitura conta, inclusive, com o apoio dos meios de comunicação para ampliar essa divulgação.

Desde o início de sua gestão, o prefeito Marcelo Crivella já recebeu os mais diversos representantes da sociedade civil, para tratar dos mais variados assuntos, tanto em seu gabinete quanto no Palácio da Cidade.

Vale lembrar que, ao final do governo passado, parte da imprensa foi convidada para uma festa, essa sim com todas as pompas e circunstâncias, nas dependências do mesmo Palácio da Cidade, em que foi servido champanhe à vontade. Só esse evento custou cerca de R$ 200 mil aos cofres do município.

Edição: Brasil de Fato RJ